Header Ads

“Shemale”, um Gênero que veio para ficar


“Shemale”, um Gênero que veio para ficar

Revista Brazil 141


Um corpo escultural, curvas estonteantes, cabelos, unhas, mãos e pés bem tratados, bundinha redonda e empinadinha, seios maravilhosos... saborosíssimos!

Sensualidade sem precedentes...

...São tantas qualidades femininas, que nem parece que a referência é para nasceram como homens... e hoje são o quê? A lagarta vira borboleta depois da metamorfose. E shemale, que ao pé da letra significa – masculino? O que seria?

http://i22.tinypic.com/fz6vbn.jpg
Mas não existe borboleta macho-fêmea, ou é macho, ou é fêmea. E shemale? É um indivíduo híbrido? Não! Então é um ser que tem os dois sexos e usa aquele que lhe for mais conveniente em determinado momento? Sim, só que não tem boceta, usa o cu para satisfazer os homens. Então é homossexual! Pode ser! Tem pênis? Sim! E dos grandes, geralmente! Então é hetero e bissexual? É também! Então é Cassim e Cassado!

Ainda há pouca informação sobre gênero shemale especificamente. O que se encontra aos montes, são filmes pornô onde as atrizes estão claramente caracterizadas como fêmea-macho, ou Cela - ele, pois com calcinha, parece mulher, sem calcinha, as shemale exibem um cacete, quase sempre avantajado.

Ao contrário das drag queens, por exemplo, uma shemale não tem a cara excessivamente pintada. Elas vivem, em geral, da prostituição ou da atuação nos filmes pornográficos. Mas isso não é regra, há quem apenas queira realizar e satisfazer um desejo pessoal, simplesmente.



É um novo gênero de homossexuais que não dispensaram o cacete, nem tentaram diminuí-lo, ou escondê-lo, muito menos extraí-lo cirurgicamente, pelo contrário, como os homens, as shemales preservam e até idolatram o membro viril, e o exibem com orgulho. Assim podem ser aceitas no mercado pornográfico e na prostituição. Já do lado pessoal, poderão proporcionar prazer e realizar fantasias aos homens e mulheres, que querem transar com uma fêmea que tem pau.

São os assumidos que tiveram a oportunidade de transformarem-se em mulher, mas não cem por cento. A intervenção cirúrgica ocorre em todo o corpo com implante de silicone - nos seios, na face na boca e na bunda - e os tratamentos de beleza, somados aos hormônios, deixaram-nas com aspectos femininos, quase que na totalidade.

É mais ou menos o que os travestis faziam antigamente, mas com uma diferença, a shemale fica com o cacete original. Muitos travestis faziam algum tipo de tratamento para atrofiar o pênis. A opção de ficar com o pinto, mantendo o seu tamanho e características originais, vem se tornando cada vez mais comum hoje em dia e gerando dúvidas com relação a identidade da shemale - quem olha diz: é mulher! É como ocorria com os travestis, só que com estes, a transformação era completa em alguns casos com cirurgia de transgenitação. Caso da Roberta Close, por exemplo.



Mas será uma opção para realizar suas próprias fantasias, ou será uma escolha profissional 3 haja vista que, na industria pornográfica, as shemales vem ganhado cada vez mais espaço.

Muitas transgêneros acabam entrando no mercado de filmes pornô e na prostituição em virtude do preconceito e do estigma atribuído pela sociedade, que não lhes abre as portas, pela incompreensão à sua condição, e os marginaliza esquecendo que eles têm as mesmas necessidades sociais dos outros cidadãos.

A identidade de gênero é interpretada na sociologia quanto a identificação pessoal - se indivíduo se identifica como sendo um homem, ou uma mulher, ou se o mesmo se vê como fora dos padrões.

Há provavelmente tantas formas e complexidades de identidades sexuais e identidades de gênero como há seres humanos, e há a mesma quantidade de formas de trabalhar as identidades de gênero no cotidiano. Muitas vezes, o elo entre identidade de gênero e papel social de gênero não é claro.


Talvez isso seja pelo fato da condição de identidadeD, pois algumas shemales querem ser mulheres e se dizem exclusivamente femininas, não masculinas, independente da orientação sexual. Cada uma faz a sua escolha no âmbito da sexualidade e satisfaz tanto o homem, quanto a mulher. Apesar de muitas delas afirmarem que não gostam do sexo com mulheres.

Porém, uma shemale tem condições de fazer o papel heterossexual, caso queira, podendo realizar os fetiches femininos. Já no papel de homossexuais, CelasD realizam também os fetiches masculinos - como os travestis, que aliás, eram originalmente, pessoas que se vestiam com roupas do sexo oposto e se apresentavam em shows e espetáculos. Mais tarde, essa prática também passou a fazer parte do comportamento das drag queens e transformistas.

Por sinal, a palavra travesti já está muito batida, pois se liga à prática da prostituição, com forte apelo erótico e fetichista. Muitos travestis não gostam de ser chamados assim. Agora, a palavra vem sendo substituída por transgêneros o CTD do GLBT - pelas entidades de defesa dos Direitos Humanos, que enxergam esse neologismo como uma idéia politicamente correta de uma pessoa que está entre os gêneros, não sendo nem macho nem fêmea, tampouco, tendo que viver necessariamente da prostituição.

Pode se entender que shemale e travesti, são transgêneros, que se referem, principalmente, às pessoas que apresentam suas identidades de gênero oposta ao sexo designado no nascimento, mas que não pretendem se submeter à cirurgia de redesignação sexual - CRS.



Travestilidade, enquanto transgeneridade, é uma condição identitária e não uma orientação sexual. Portanto, as pessoas que se autodenominam travestis e shemales, podem se identificar como homossexuais, heterossexuais, bissexuais ou assexuais.

Mas as shemales enfrentam diversos problemas sociais por terem feito essa opção sexual, pois isso não segue os parâmetros sexualmente sadios. As shemales querem ser vistas pela sociedade como pessoas corretas, que fizeram sua escolha entre os gêneros. Sem uma designação macho ou fêmea, homem ou mulher. É como se fosse os dois, ou individualmente, ou ao mesmo tempo. É uma luta que está sendo travada pela comunidade de travestis e shemales, pois como qualquer outro indivíduo, os shemales têm direitos e deveres perante a sociedade e, acima de tudo, tem sentimentos também.

[gaby-47.jpg]

Mas venhamos e convenhamos, independente de qualquer coisa, as shemales são um show de sensualidade, pois aparecem inteiramente depiladas, com cabelos alongados, unhas feitas e pintadas, sobrancelhas aparadas, seios lindos - apesar de serem próteses de silicone 3 e contornos maravilhosos, que deixam muita mulher no chinelo.

Aos poucos, a revolução sexual atinge um maior número de pessoas. O caminho está sendo trilhado e os preconceitos deixados de lado. O que era bizzarro antigamente, hoje é normal. Pioneiros aqueles que enfrentam os obstáculos, sem medos, nem vergonha de chegar onde pretendiam. Essas pessoas - ao contrário do que muita gente pensa - têm a cabeça feita, feita para ser feliz! Como dizem os estudiosos em biologia e sociologia: O sexo entre as orelhas é mais importante que o sexo entre as pernas.