Header Ads

Como Contar pra Esposa que sou Crosdresser?


X17/X17

Jim Carrey troca de maiô com a mulher Jenny McCarthy e desfila para os paparazzi

Como Contar pra Esposa que sou Crosdresser?

Do Blog da Reicla

Uma questão inquietante é como, quando e se deve contar para sua esposa que você é crosdresser. Infelizmente não há uma fórmula de como fazer isso, pois cada um tem sua individualidade e cada casal tem suas características. É algo muito pessoal que precisa ser avaliado minuciosamente. Normalmente o maior medo é de que a reação seja negativa, de rejeição.

Muitas crosdresser amam suas esposas e filhos, e não desejam em hipótese nenhuma separar-se deles. Vivem a angustia de manter o segredo do crosdressing e isso não é nem um pouco saudável, mas temem que ao contar, a esposa a abandone.

Eu acredito que existam alguns tipos de crosdresser das quais nem todas estariam dispostas a contar para suas esposas obre sua vida mais intima. Entre as que não contariam estão as que mantém um casamento de conveniência, do qual a relação acaba sendo estável sem muito amor, mas tranqüila, dando oportunidade para os espaços onde pode praticar o crosdressing, muitas vezes mais virtual do que real. E aquelas que tem uma forte necessidade manter relações com outros homens, e conseguem equilibrar seus horários para fazê-lo, amam suas esposas, mas as quais não aceitariam a bi-sexualidade do marido.

Para as que estão nessa angustia de contar ou não, eu aconselho a contar, pois isso tira um peso enorme das costas. Você vai se sentir leve e segura e poder ter uma vida melhor. Importante, mas esteja preparada para o pior, a separação, pois dependendo do tipo da esposa e do tipo de relacionamento que vocês têm ficará difícil a convivência.

Um exemplo bem sucedido é o caso da Peggy e Melanie (Mel) que provavelmente formam o casal crosdresser mais famoso. O livro da Peggy “meu marido usa minhas roupas” é um dos mais conhecidos e comentados sobre crosdressing sob o ponto de vista da esposa. O marido crosdresser (Mel) resolveu escrever uma carta, explicando tudo, que desde a infância sentia a necessidade de usar roupas femininas, guardou esse segredo por muitos anos até que sentiu-se seguro em contar e não esperava que a esposa o aceitasse e não queria forçar que ela entendesse. Apenas decidiu que chegara a hora de contar. E o resultado foi positivo.

OBS: Pessoalmente eu nunca contei nem pretendo contar... Mas não condeno quem conta... É uma opção séria que depende de cada um...

Nenhum comentário