Header Ads

biquíni molhado por muito tempo e usar calças apertadas favorecem o aparecimento da candidíase

Verão e saúde da mulher: evite a candidíase


Da Revista Fator

O intenso calor do verão favorece o aparecimento da candidíase, uma infecção ginecológica que causa corrimento e coceira vaginal, entre outros sintomas. Ficar com o biquíni molhado por muito tempo e usar calças apertadas são alguns dos fatores que contribuem para desenvolvimento dessa doença.

Para entender um pouco mais sobre essa infecção, entrevistamos a ginecologista Dra. Rosa Maria Neme que respondeu a várias questões sobre a candidíase.

1. Qual a principal infecção ginecológica de verão e por que ela aparece nessa época? A principal infecção ginecológica do verão é a candidíase. Ela é causada por um fungo, a cândida, que habitualmente é encontrada no intestino das mulheres. Por algum desequilíbrio na defesa do organismo feminino, ocasionado pelo estresse, calor excessivo, uso de roupas úmidas, uso de antibióticos, esse fungo acaba contaminando a vagina e gerando alguns sintomas.

2. Quais os sintomas dessa infecção? O sintoma mais importante é um corrimento esbranquiçado com grumos, acompanhado de ardor ou coceira na vagina.

3. A candidíase atinge mais adolescentes ou mulheres adultas? Atinge ambas as faixas etárias.

4. Essa infecção é contagiosa? Se a mulher tiver relação sexual sem o uso de preservativo, o homem pode se contaminar com o fungo. Mas, na grande maioria das vezes, o homem não apresenta nenhum sintoma.

5. Quais as formas de tratamento? O tratamento é feito com antifúngicos por via oral, associado a um antifúngico na forma de creme vaginal, mediante orientação médica.

6. O que acontece se a mulher não realizar o tratamento? Os sintomas tendem a se tornarem insuportáveis, com ardor intenso, coceira vaginal e inflamação importante da vulva. Isto impede as atividades diárias e relações sexuais, por exemplo.

7. Como prevenir o aparecimento dessa infecção? Para prevenir o aparecimento da candidíase, algumas medidas devem ser adotadas: . Evitar manter o biquíni molhado no corpo por muito tempo | . Dormir sempre sem calcinha | . Evitar o uso de absorventes diários (protetores de calcinha) | . Evitar o uso de calças muito apertadas que favoreçam o aumento do calor local vaginal | . Estimular a imunidade do corpo, praticando exercícios físicos, aliviando o estresse, dormindo bem e mantendo uma alimentação saudável.

Perfil da Dra. Rosa Maria Neme - A Dra. Rosa Maria Neme é graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1996) e doutorado em Medicina na área de Ginecologia pela Universidade de São Paulo (2004). Realizou residência-médica também na Universidade de São Paulo (2000). Além de dirigir o Centro de Endometriose São Paulo, ela integra a equipe médica do Hospital Israelita Albert Einstein, Samaritano, São Luiz e Sírio Libanês. É também responsável pelo setor de endometriose da Clínica de Reprodução Humana Roger Abdelmassih.

O Centro de Endometriose São Paulo conta com serviços voltados à assistência global da saúde da mulher e valorização da beleza feminina. A iniciativa deste projeto pioneiro é da Dra. Rosa Maria Neme, que possui diversos trabalhos publicados sobre a endometriose e larga experiência no tratamento desta doença. Ela lidera uma equipe clínica formada por médicos e profissionais nas áreas de ginecologia, radiologia, cirurgia do aparelho digestivo, urologia, clínica geral, anestesia especializada no tratamento de dor, dermatologia, fisioterapia, nutrição e psicologia.

Nenhum comentário