Header Ads

A dieta da maçã


Perdi 28 quilos com a prática dieta da maçã
A balança não saía dos três dígitos: eu estava sempre acima dos 100 quilos. Em seis meses, emagreci comendo essa fruta que eu adoro!

Dona da história: Eliane Alves Queiroz, 23 anos, vendedora, Campinas, SP
Reportagem: Milena Emilião - "M" de mulher

Foto: Cínthia Sanchez

A maçã ajuda a emagrecer e ainda
é rica em vitaminas e minerais
Foto: Cínthia Sanchez


A obesidade me acompanhou desde quando eu era criança - uma criança grande e gordinha. A típica ''filhinha da mamãe''... Isso só me incomodou mesmo quando chegou a adolescência. Eu queria ir pra balada com meus amigos, trocar olhares, namorar, dançar... Mas ninguém olhava pra mim. Eu sempre fui a ''gordinha legal'' da turma. E nem poderia ser diferente: com uns 15, 16 anos eu já pesava mais de 80 quilos! Você consegue imaginar o que é isso? É um exagero de mulher!

Ser legal é bom, mas eu também queria ser sexy. Queria que os meninos olhassem pra mim, queria parecer bonita, enfim... Mas pra quem está acima do peso tudo isso é muito difícil. Você não passa despercebida em nenhum lugar — e nunca reparam na sua beleza, só no seu peso. Não importa se você tem um sorriso bonito ou se é boa de papo, é sempre o peso que se destaca.

E, olhe, nem que eu quisesse... Era impossível conseguir me arrumar. Pra ir a uma boate, por exemplo, eu abria mão de roupas jovens, porque elas não combinavam com o meu peso. Pegava as roupas da minha mãe, porque eu deixei de comprar as minhas próprias. Várias vezes, eu me olhava no espelho e estava vestida como uma senhora!

Tomei remédios, emagreci, mas engordei de novo

Quando cheguei aos 21 anos, estava pesando mais de 100 quilos! Tá certo que eu tenho 1,77 metro, mas 100 quilos é demais, até pra mim! Ver o terceiro dígito na balança é muito deprimente... Foi aí que eu fui a um médico, pedi uma receita e comecei a tomar remédios para emagrecer. A resposta veio rápido: em pouco tempo, eu tinha perdido 30 quilos.

Foi um período em que fiquei bem feliz. Estava magra e me sentindo bem. Mas, livre do excesso de gordura, parei de tomar os inibidores de apetite. Como acontece com a maioria das pessoas, voltei a engordar com a mesma velocidade que tinha emagrecido antes...

Quando olhei na balança, eu estava com 106 quilos — ou seja, mais gorda do que antes! Aquilo mexeu comigo. Entrei em depressão, não saía de casa, estava péssima. Por outro lado, foi toda essa raiva, toda a revolta, que me deu forças pra começar uma dieta radical.

Eu mesma criei o meu cardápio: decidi quanto iria comer por dia e comecei a fechar a boca. Todas as revistas que eu lia falavam que as frutas eram boas opções para quem quer emagrecer. Eu pensei bem e decidi que, toda vez que eu sentisse fome, comeria maçãs! Eu gosto do sabor dessa fruta, e ela me faz sentir bastante satisfeita por um bom tempo.

Já na primeira semana notei uma diferença no meu peso

Não vou dizer que foi fácil parar de comer tudo que eu comia. Na verdade, até hoje eu faço um esforço pra não atacar os chocolates - que eu amo! Mas as maçãs me ajudaram a não engordar quando a fome aparecia, principalmente entre as refeições.

Fiquei feliz logo na primeira semana, pois consegui notar uma diferença no meu peso. Isso me deu ânimo pra conseguir caminhar pela cidade, ir ao trabalho a pé e voltar, todos os dias! Resultado: em seis meses, eu tinha perdido 28 quilos. Agora, cheguei ao peso que queria. Estou com 78 e muito feliz!
Eu ainda tenho a pele um pouco flácida. Afinal, tinha muita gordurinha embaixo dela, né? Mas já vou começar a fazer exercícios pra deixar tudo durinho! Mesmo assim, já sou outra pessoa. Agora, sim, posso comprar roupas do meu tamanho, sair à noite e paquerar. Não preciso mais me preocupar se vão me chamar de “gordinha legal”.

Mudei tanto que uma amiga não me reconheceu

Minha maior felicidade foi quando encontrei uma antiga amiga na rua, e ela passou por mim sem me cumprimentar. Quando a chamei, ela ficou assustada. Ela disse que não tinha me reconhecido, pois eu estava magra. Minha autoestima, claro, foi parar lá no alto! Me sinto realizada com meu novo corpo!

Mas, como eu disse, não posso relaxar na alimentação. Eu sei que engordar — e muito — é um risco que eu corro. Portanto, nada de me entregar aos doces! Voltar aos cento-e-poucos quilos? Nunca mais! Toda vez que a fome bate, corro pras maçãs! E, assim, vou mantendo meu peso sob controle.

Nesta matéria


Nenhum comentário