Header Ads

Travesti brasileira morre após escândalo sexual na Itália

Brenda, a brasileira suspeita: O governador da região-estado Lazio, cuja capital é Roma, foi surpreendido quando mantinha relações sexuais com a transsexual brasileira alcunhada Natalia. E no quarto do apartamento de Natalia havia grande quantidade de cocaína. A relação sexual mantida entre o governador e a travesti brasileira Natalia foi filmada clandestinamente. Até o momento, atribui-se à trans Brenda, também brasileira, a autoria da gravação, realizada com um aparelho celular. Brenda nega a acusação, mas é apontada como a responsável por Natalia e por Thaynna, esta natural da Bahia. As demais, a naturalidade ainda é desconhecida. O computador e o celular de Thaynna , ambos com fotos de celebridades e autoridades, restaram apreendidos por policiais do ROS (Raggruppamento Operativo Speciale). Durante a relação amorosa, o quarto do apartamento de Natalia, na célebre via Gradoli, foi invadido por quatro policiais militares (arma dos carabinieri) e teve inicio um longo período de extorsões, do final de julho até este mês de outubro. Num primeiro momento e ainda no quarto de Natalia, o governador Piero Marrazo entregou três cheques aos policiais, no valor total de 20 mil euros (cerca de R$60.000,00). Por programa, Natalia recebia do governador de 1.500 euros (R$4.500,00) e não se sabe, até agora, se estava incluído o preço da cocaína e eventual uso.

Travesti brasileira morre após escândalo sexual na Itália

Do Terra

A travesti brasileira Brenda, 32 anos, foi encontrada morta queimada em um porão na Due Ponti, em Roma, após um incêndio na madrugada desta sexta-feira. A Polícia Científica afirma que o corpo estava parcialmente despido, com uma garrafa de uísque ao lado e sem sinais de violência. A brasileira teria mantido relações com Piero Marrazzo, ex-governador da região do Lácio, demitido após um escândalo sexual envolvendo Brenda e outro brasileiro homossexual, identificado como Natalie. As informações são do La Repubblica.

Em 23 de outubro, quatro policiais foram presos suspeitos de chantagear o então governador com um vídeo em que o político apareceria com Natalie, gravado em julho. De acordo com a reportagem, o governador afirmou após a divulgação do caso que também se encontrava com Bianca. No dia 27, Marrazzo renunciou ao cargo.

Segundo o jornal, foram encontradas no prédio na Due Ponti malas prontas para viagem. Amigos da vítima disseram ao Repubblica que ela pretendia voltar ao Brasil. "Eles a mataram, não sei quem (...) a polícia não tem feito nada", disse à reportagem um travesti identificado como Barbara.

O jornal diz que a brasileira já teve casos de transtornos de saúde. Em 8 de novembro, o homossexual teria se envolvido em uma briga e foi levado a um hospital. Supostamente alterado pelo consumo de álcool e pelos ferimentos, teria ameaçado os médicos e funcionários com uma tesoura e feriu seu braço.

O Repubblica afirma também que a brasileira é testemunha em uma investigação sobre o político do governo do Lácio e havia sido ouvida pelo Ministério Público de Roma. A apuração tentaria descobrir se havia outro vídeo envolvendo o ex-governador.

De acordo com a reportagem, a brasileira é o segundo homossexual envolvido com o ex-governador que morre. Em setembro, Gianguarino Cafasso, que seria traficante, sofreu uma overdose de cocaína.

Nenhum comentário