Header Ads

Transexual detida em prisão feminina causa discussão na Escócia

Uma prisão feminina da Escócia está no centro de uma discussão desde que descobriu que, entre as detentas, há uma que nasceu homem –e ainda espera pela operação de mudança de sexo, segundo a versão escocesa do tablóide “The Sun”.

Nicola Wilson, 23, tem sido vigiada de perto por funcionários da prisão Vale Cornton desde que foi detida acusada de agressão. Ela nasceu Joseph e, segundo o jornal, ainda tem órgãos sexuais masculinos, apesar de ter começado a formar seios como parte do processo de mudança de sexo.

“Nós já tivemos transexuais antes, mas nunca alguém que estava no meio do processo. Os guardas nem sequer sabem como se dirigir a ela”, disse um funcionário da prisão, que não quis se identificar, ao “Sun”.

Reportagem do "Sun" mostra foto censurada de Nicola Wilson, 22, que foi detida em prisão feminina (Foto: Reprodução)Reportagem do "Sun" mostra imagem de Nicola Wilson, 23, que foi detida em prisão feminina (Foto: Reprodução)



Os funcionários acreditam que Nicola foi mandada para a prisão feminina porque já vivia como uma mulher há seis anos. Ela está sendo mantida em uma cela individual e é monitorada cada vez que deixa a cela, disseram funcionários.

O irmão de Nicola, Steven McLean, 22, disse ao tablóide que ela iniciou o tratamento para mudar de sexo ainda adolescente e que teria ficado aterrorizada se fosse detida em uma prisão masculina. “Ela está tomando comprimidos. Ainda não fez nenhuma operação. Minha mãe foi vê-la e ela pediu que levasse roupas femininas para usar”, disse.

Nicola foi mandada para a prisão, em Stirlingshire, após ter sido levada a uma delegacia de Glasgow por agressão, desordem e comportamento ameaçador. Ela não apresentou defesa.

Funcionários temem que a presença dela na prisão possa despertar tensões. “É ridículo que um homem com todos seus órgãos sexuais intactos possa dividir uma cela com outras mulheres”, disse um deles.

Diretor da organização de direitos gays Stonewall Escócia, Carl Watt afirma que uma pessoa transexual “não precisa ter feito nenhuma cirurgia para ser legalmente reconhecida pelo sexo adquirido”.

Um porta-voz da prisão disse que a instituição não comenta sobre casos individuais de presos.

Do G1

Nenhum comentário