Header Ads

Filho de prefeito confessa agressão por aversão a gay

André Delgado Baird, 19 anos, filho do prefeito de Costa Rica, Jesus Queiroz Baird, confessou ter agredido um acadêmico de artes visuais, de 21 anos, na madrugada da última sexta-feira, em Campo Grande. De acordo com a adjunta da 1ª Delegacia de Polícia, Daniella Kades, ele prestou depoimento no final da manhã de hoje e também confirmou para a polícia ter espancado a vítima em função de ela ser homossexual. Além de André, outros três jovens teriam participado das sequências de chutes e socos, classificadas neste caso como homofobia – aversão a homossexual.

A delegada contou que o acusado confirmou a agressão e também a homofobia, mas disse que não se lembrava bem. Naquela noite, o grupo havia ingerido bebido alcoólica. "Eles estavam andando de carro, quando um deles falou: ‘Ah, vamos bater naqueles bichas’", relatou Daniella Kades, contando que na versão de André três dos quatro amigos participaram do espancamento, enquanto um ficou no carro. Já a vítima garante que foi agredida por todos eles.

Do Correio do Estado


A Polícia Civil de Campo Grande já identificou um dos quatro acusados de terem agredido um jovem na madrugada da última sexta-feira (15), supostamente por homofobia. Segundo a delegada Daniela Kades, um dos agressores seria filho do prefeito de um município no interior de Mato Grosso do Sul.

Ainda de acordo com a polícia, as investigações chegaram até o suspeito através da placa do veículo corsa de cor preta, em que os jovens estavam. O automóvel está registrado em nome do irmão de um dos possíveis autores da agressão. A delegada informa um dos agressores seria filho do prefeito de Costa Rica, Jesus Baird.

A própria vítima teria decorado a placa do carro e informado em seu depoimento para a polícia. Ele registrou o boletim de ocorrência às 22h da sexta-feira (15) e até hoje só entrou em contato com a delegada por telefone. Segundo Daniela, o jovem está com medo porque os jovens agressores seriam de famílias influentes.

Os outros três acusados ainda estão sendo investigados. A delegada Daniela lembra que homofobia não é crime, mas eles devem responder por lesão corporal dolosa. Caso sejam reincidentes, ou tenham planejado o crime, podem responder também por formação de quadrilha.

A assessoria de imprensa da prefeitura de Costa Rica confirmou que o prefeito Jesus tem dois filhos, sendo que o nome de um deles coincide com o acusado pela delegada. Os nomes serão preservados para preservar a vítima e não atrapalhar as investigações.

O caso

Na madrugada da sexta-feira (15), a vítima saía de uma boate por volta das 4 horas da manhã junto com outro rapaz de 18 anos, quando foram abordados próximo a Rua Bahia, por quatro jovens que estavam dentro do veículo Corsa de cor preto.

Ao verem os dois rapazes, dois dos quatro jovens do carro gritaram “veado” para os rapazes que logo desceram do veículo e começaram a correr atrás das vítimas. Dos quatro jovens, três teriam agredido o rapaz com chutes e ponta pés enquanto riam da vítima.

Do MIDIAMAX

Nenhum comentário