Header Ads

Nova frase homofóbica de Jair Bolsonaro agora contra a Presidente Dilma


Mais uma declaração homofôbica do deputado federal pelo Partido Progressista (PP) do Rio de Janeiro, Jair Bolsonaro, traz a tona a intolerância do ex-militar conhecido por defender o regime militar e a tortura no país.

Desta vez diferentemente do que acontecera alguns meses atrás no programa de TV “CQC – Custe o que custar” da Band, onde ele afirmou que não discutiria "promiscuidade" ao ser questionado pela cantora Preta Gil sobre como reagiria caso o dele filho namorasse uma mulher negra., foi em plena Câmara dos Deputados na última quinta-feira (24) à noite quando se refeiria ao projeto Escola Sem Homofobia, conhecido também como “Kit Gay”, que tinha sido suspenso pela presidente da República Dilma Rousseff.

No discurso e usando palavras de baixo calão, o parlamentar chegou a insinuar que a presidente é lésbica. "O kit gay não foi sepultado ainda. Dilma Rousseff, pare de mentir! Se gosta de homossexual, assuma! Se o seu negócio é amor com homossexual, assuma, mas não deixe que essa covardia entre nas escolas do primeiro grau", gritou.

Pelas palavras utilizadas e o tom do discurso algumas declarações de Bolsonaro foram suprimidas da página oficial do órgão. Além disso, as palavras do deputado geraram mal estar no Planalto, que preferiu não comentar sobre o assunto.


Vários parlamentares se mostraram chocados e indignados com a atitude de Bolsonaro, como o deputado Alfredo Sirkis do Partido Verde do Rio de Janeiro, como mostra o vídeo acima, mas o atual deputado já escapou de punição na própria Corregedoria da Câmara em junho passado pelas acusações de racismo feitas na televisão.

Nenhum comentário