Header Ads

Livro conta que Nixon era gay, maltratava a mulher e vivia bêbado

A imagem do ex-presidente Richard Nixon está preste a ser modificada pelo veterano correspondente da Casa Branca, Dom Fulsom. Um livro será lançado por ele em janeiro nos Estados Unidos, onde afirma que Nixon mantinha uma relação homossexual com o banqueiro Charkes "Bebe" Rebozo, que supostamente era ligado a máfia.

As informações contidas na edição digital do jornal "Huffington Post" na última terça-feira, diz que o livro "Nixon's Darkest Secrets: The Inside Story of America's Most Troubled President" revela o suposto envolvimento turbulento que o 37º líder americano tinha com seu amigo de origem cubana.

De acordo com a publicação, desde que presenciou um assessor de Lyndon Johnson, seu antecessor na Casa Branca, mantedo relações com um marinheiro, Nixon o chamou de "doente" e disse que pessoas deste tipo não poderiam ocupar cargos de confiança, passando a ser conhecido com uma pessoa homofóbica.

Durante os anos de 1969 e 1974, em que governou o país, a amizade de Nixon com Rebozo era bastante conhecida. Segundo informações do FBI, o banqueiro era muito próximo de dois dos maiores gângsteres da década de 60, Santo Trafficante e Alfred "Big Al" Polizzi, e mesmo assim o presidente não deixava de frequentar a casa de Rebozo em Key Biscayne, na Flórida, tanto com sua esposa como sozinho.

Todo o livro foi escrito através de relatórios oficiais, fontes diretas da Casa Branca e ex-congressistas, segundo Fulsom. Um ex-repórter da revista "Time" contou em depoimento ao autor, que viu o presidente segurando a mão do banqueiro durante um jantar em Washington.

Além de aponta-lo como gay, o livro reforça a ideia de que Nixon maltratava a própria esposa e que tinha problemas com a bebida, chegando a dar liberdade para que seus assessores mais próximos o tratassem como "nosso bêbado".

Do SRZD

OBS: Nixon, que governou os EUA entre 1969 e 1974, era considerado uma pessoa homofóbica.

Nenhum comentário