Header Ads

Ser ou não ser! Será essa a questão?


É válida essa questão? O que importa a resposta para nossa convivencia em sociedade?
Há uma discussão ferrenha se homossexualidade, bissexuais, transexualidade etc é uma escolha ou a pessoa nasce com essa característica.

Muitos discutem mostrando pesquisas e mais pesquisas científicas que embora indiquem que realmente a pessoa já nasce com essas características, ainda são inconclusivas.

Mas me pergunto se essa questão é válida, pois E SE fosse mesmo uma escolha? Então estaria tudo bem espancar homossexuais, matar transexuais, discriminá-los e coloca-los a margem da sociedade?

Todos os dias fazemos tantas escolhas, escolheremos o que queremos estudar, o carro que queremos ter, a bebida que iremos consumir, a comida que iremos comer, e as pessoas parecem possuir uma mania de julgar todo mundo por seus atos segundo seu valores particulares, essa mania, se é uma escolha ou se a pessoa nasce assim eu não sei, mas sei que é preciso rever nossos papeis na sociedade, entender o que realmente seja liberdade de expressão e respeito.

Todos temos nossas opiniões sobre as mais diversas coisas, algumas dessas opiniões achamos que são a melhor forma de pensar sobre um assunto, embora você tenha todo o direito de pensar livremente, que justificativa você daria para impor o seu modo de vida às outras pessoas? Não foi justamente a tentativa de impor valores e modos de vida que originaram grande parte das guerras e conflitos?

Com certeza você deseja que suas opiniões sejam respeitadas, mas e se suas opiniões desrespeitam pessoas? O que é mais importante? Respeitar uma opinião particular ou uma pessoa? Você pode achar que sua moral é muito mais elevada do que seus próximos e quere “ajuda-los” a enxergar a “verdade”, isso é realmente válido, porem apenas para pessoas que solicitarem essa ajuda.

Você nem ninguém tem o direito de invadir a privacidade de qualquer pessoa sem ser convidada para tal. A sexualidade e questões de gênero são assuntos privativos de cada um, escolhas ou não, não diz respeito à sociedade ou ao governo legislar quais características físicas uma pessoa possui, e porque não é? Porque isso iria ferir os direitos humanos dos indivíduos excluídos.

Há quem diga que a bíblia condena essas coisas e por isso podem criticar e julgar essas pessoas segundo sua liberdade de fé, porem se esquecem que vivemos num estado laico, ou seja, a esfera pública não pode ser regida por influencia de dogmas religiosos, e porque não podem? Porque existem milhares de religiões, cada uma se julga a correta, o que seria da sociedade se forçássemos toda a população a aceitar todos os dogmas de todas as religiões (para ser justo)? Simplesmente seria impossível, já que muitos dogmas são contrários. Assim, tanto a sexualidade, identidade de gênero e religião fazem parte do foro íntimo de cada um, devem ser respeitados, o que quer dizer que não se deve ofender as pessoas que fazem parte desses grupos.

Você pode argumentar que a sua religião é a correta por N fatores, mas todas as outras também tem N razões para acreditar que são elas que estão com a verdade. Ou você por qualquer ideologia pode acreditar que sua moral é superior e que todos deveriam agir como você, mas muitas outras pessoas pensam o contrário e também acreditam que você deve agir como elas. Assim, temos que nos conformar em viver nossa vida conforme nossas próprias crenças pessoais, mas respeitando o direito a dignidade e escolha de todas as outras, com seus defeitos, com suas deficiências físicas e mentais, com suas escolhas e tudo mais desde que não inflijam às leis do país onde vivemos.

Concluindo que não importa se homossexualidade, transexualidade etc é ou não uma escolha, porque mesmo que fosse, não há argumentos para defender que tais pessoas não possuem os mesmos direitos humanos que qualquer outra pessoa e assim ninguém tem o direito de lhes tirar a dignidade e respeito que são direitos universais superiores até mesmo ao direito de expressão e fé.

Isso deveria bastar, mas temos que ainda ver dois pontos, que são usados frequentemente pelos que perseguem homossexuais. Um é o argumento do pedófilo, dizem eles, o pedofilia é uma opção sexual, então devemos respeitar a pessoa e sua opção sexual? Claro que não, esse argumento é falho, pois não se compara ao homossexualismo, pois na pedofilia sempre há o envolvimento de uma pessoa incapaz ou semi-incapaz, onde ocorrem abusos que prejudicam e muito a vida da vítima. Já as relações homo afetivas entre pessoas adultas não ferem nenhum dos participantes da relação e nem qualquer outra pessoa da sociedade e também não inflige nenhuma lei do país.

Outo argumento é que é garantido por lei a livre expressão religiosa, o que é verdade, porem qualquer religião não está acima da lei, e como exemplo, não seria permitido no Brasil sacrifícios humanos, e possivelmente você concorda que não se deve fazer sacrifícios humanos não importa o quão grande seja a religião que propor isso. Também é possível que concorde que nenhuma religião, por mais que esteja descrito em seus textos sagrados, poderá matar um homossexual como a bíblia ordena. E por fim, não entendo como concorda em humilhar, denegrir, levantar falso testemunho, caluniar todo um grupo de pessoas, sendo isso punível em lei, sob o pretexto de livre manifestação religiosa.

Voltando a afirma então, que independente de ser ou não uma escolha (pra mim está claro que não é), devemos respeitas as leis do país e deixar de ofender, humilhar, denegrir e caluniar pessoas que tem uma sexualidade ou identidade de gênero mesmo que condenada por nossa religião.

Do Transgênero Literario

Nenhum comentário