Header Ads

Léo Áquilla: Gays sofrem menos preconceito que travestis

Em uma longa conversa com Robertha Portella na noite desta quinta-feira (19), Léo Áquilla contou que apesar de se vestir como mulher há muitos anos, só tomou a decisão de colocar seios e "virar travesti" há um ano.
A decisão demorou para ser tomada, segundo a performer, porque sua família se sentia mais confortável com a aparência masculina e porque o marido temia que ela sofresse mais preconceito. 
"Ele chorou muito porque sabe que o preconceito é maior", contou. "O gay normal é aceito na sociedade, as transsexuais e travestis, não. A nossa imagem é muito deteriorizada", continuou.
Como tem feito constantemente no reality show, Léo discursou contra o preconceito, afirmando que conhece muitas travestis e transsexuais "maravilhosas". "Nós não somos marginais, somos doçuras de pessoas", disse. "Existem milhares de travestis que são maravilhosas, tem família, não são prostitutas, trabalham, tem sua vida", completou.
Por fim, Léo afirmou que aceitou ir para o programa com dois objetivos. "Tenho dois grandes prêmios possíveis por participar da Fazenda: os R$ 2 milhões e o que eu posso agregar para quebrar preconceitos", concluiu.

Do UOL

Nenhum comentário