Header Ads

Polícia procura por suspeito de atirar contra 4 travestis em Rio Preto, SP

A polícia procura pelo suspeito de ter atirado contra travestis em São José do Rio Preto (SP), na madrugada desta quarta-feira (15). Das quatro baleadas, duas morreram, uma de 24 e outra de 30 anos, e outras duas foram levadas para hospitais da cidade.
Segundo testemunhas que presenciaram a ação, o homem estava armado, pilotava uma moto vermelha, aparentava ter entre 40 a 50 anos, cabelo grisalho e peso elevado. Como nada foi levado das vítimas, a polícia trabalha com hipóteses de crime de intolerância e associação das vítimas com o tráfico de drogas. As testemunhas e outras duas travestis atingidas pelos tiros serão ouvidas ainda esta semana.
Uma das vítimas, de 21 anos, está internada no Hospital de Base, levou um tiro na mão direita e passou por cirurgia. O estado de saúde é estável. Outra travesti, de 25 anos, está internada na Santa Casa de Rio Preto e também levou um tiro na mão direita, de raspão. Não foi necessário cirurgia. Ela teve apenas escoriações e seu estado de saúde também é estável.

Como aconteceu
O motociclista tenha atirado e matado a primeira vítima, de 30 anos, em uma estrada de terra que segue para a Fonte Santa Terezinha. Segundo a PM, trata-se de um ponto de prostituição. Testemunhas disseram que o motociclista combinou um programa e foi até o local com a travesti. Como a vítima não voltou, colegas foram a procurar e encontraram o corpo. A travesti Rafaela Fiorentino (foto a esquerda) estava ajoelhada no momento do disparo. O carro dela estava estacionado na Avenida Cenobelino.
O homem atirou e matou a segunda vítima, de 24 anos, nas proximidades de um restaurante que também fica na Avenida Cenobelino. Após os disparos, ele desceu da moto que pilotava e seguiu até a esquina da Rua São João, onde atirou na mão e no ombro da terceira vítima, de 21 anos. O motorista, segundo testemunhas, acenou e mandou beijos para outras travestis que também estavam no local.
O homem ainda seguiu para o centro da cidade, na esquina da Rua General Glicério com a Prudente de Moraes, onde atirou na quarta travesti, de 25 anos, que foi atingida na mão.
Testemunhas que presenciaram os disparos disseram que o motociclista já havia passado várias vezes pelos locais antes de cometer os crimes. As câmeras que ficam na área central da cidade serão analisadas e podem ter flagrado os crimes.

Do G1

Nenhum comentário