Header Ads

Assassinos da Transexual Nicole Borges, a "Bruna Galisteu" são presos


Eles responderão por homicídio doloso, roubo e porte ilegal de armas. São eles  Maicon dos Santos Straub, 20, Sidney Augusto Bueno, 30, Daniel Morais dos Santos, 26 e Jeferson Monteiro, 26.

Em relato a polícia, Sydnei e Daniel foram até Araucária com um veículo Astra buscar Nicole e mais duas mulheres para ir a uma festa.


Na balada um deles beijou a travesti Nicole Galisteu, e quando os outros perceberam que não era uma mulher começaram a tirar saro. Ao saber que ela era um travesti saíram do local pegaram uma arma e mataram o travesti.

Segundo o delegado Rubens Recalcatti (ao Lado), responsável pelas investigações, os rapazes buscaram a jovem em Araucária e a levaram em uma balada no bairro Alto São Francisco, na capital. "Um dos amigos comentou que o outro estava com um ‘traveco’ e aí o cara percebeu que era [travesti ou transexual].

Eles saíram, foram na casa de um deles, pegaram três armas e a levaram no carro, para Colombo. Um deu um tiro na nuca e os outros mais seis disparos", contou.

Uma hora após o homicídio, que aconteceu no bairro Santa Cândida, na capital, os marginais resolveram agir contra a farmácia em Colombo. O que o grupo não contava era que logo a polícia encontraria Maicon, que levou os agentes até a casa onde os comparsas estavam escondidos.

No entanto, os polícias foram recebidos por tiros e revidaram o ataque dos bandidos. No confronto, Jeferson acabou sendo morto e Daniel, que usou a mulher como “escudo”, foi alvejado na perna.

 Maicon dos Santos Straub, 20.

Sidney Augusto Bueno, 30.
 
Daniel Morais dos Santos, 26

O bando foi preso e, durante conversa com os polícias para apurar o assalto na farmácia, confessaram o assassinato do travesti. Na casa de Daniel foram apreendidas duas pistolas, e um revólver calibre 38 e munição, material que servirá à perícia para comparar com os projéteis encontrados no corpo de Bruno Borges Generoso, a Nicole Galisteu. Os suspeitos permanecem presos a disposição da Justiça.

O delegado disse que ainda não é possível afirmar qual seria a real motivação do crime. "Nós estamos apurando. Ela foi executada ou porque eles são bandidos, assaltantes, ou por maldade mesmo", afirmou. 

Registrada como Bruno Borges Generoso, a vítima tinha 20 anos e era conhecida pelo nome social, Nicole Galisteu. A jovem vestia mini-saia e salto alto quando foi assassinada. O corpo foi encontrado na Estrada das Olarias, com sete perfurações de arma de fogo na nuca, no tórax e no rosto. 

O cadáver foi encontrado apenas no início da manhã. No entanto, segundo o delegado Rubens Recalcatti, o crime teria ocorrido por volta das 4h. O travesti tinha pelo menos quatro perfurações de tiros, duas num braço e outras duas no rosto.

Além disto, tinha uma marca de pneus em seu sapato de salto preto, como se um carro tivesse passado por cima. O delegado ainda não tem informações suficientes para formar uma linha de investigação.

O travesti era alto, tinha a pele clara e cabelos loiros. A pele das pernas, inclusive, era muito bem cuidada. Ela vestia uma minisaia preta e um top branco estampado, parecendo a parte de cima de um biquini.

Violência - O Brasil registrou 98 assassinatos de travestis e transexuais em 2011, segundo dados do Grupo Gay da Bahia (GGB), que há mais de três décadas coleta informações sobre homofobia no Brasil. Das mortes notificadas, oito aconteceram no Paraná.

O fundador do GBB e responsável pelo levantamento, Luiz Mott, informou que o relatório de 2012 deve ser divulgado em até duas semanas. Ele adiantou, porém, que o País contabilizou mais de 300 assassinatos de LGBT (lésbicas, gays, travestis e transexuais) no ano passado, ultrapassando os 266 ocorridos em 2011 e 260 em 2010.

Até meados de outubro, o Paraná tinha registrado 11 mortes de trans, três a mais que em 2011 e uma a mais que em 2010. Em 2009, ano em que Curitiba bateu recorde nacional em número de assassinatos contra essa parcela da população, o Estado teve no total 15 casos.

 
Por Katia Walker - Com informações do Bonde, Paraná Online 1 e 2 e catve (fotos)

Nenhum comentário