Header Ads

Crossdressing não é travestismo

Literalmente, segundo José de Abreu, CROSSDRESSING, significa “trocando de roupa”, mas é bem mais do que isso. O cerne do crossdressing está na inversão de papéis, um jogo onde o homem se veste e se comporta como mulher e vice-versa. Estranho? Tem gente que adora por pura farra ou porque sente tesão. Mulher que gosta de ver seu homem de calcinha ou homem que curte uma gata de paletó e gravata.  Pode ser problema quando a coisa se transforma numa preferência quando, por exemplo, o homem só se excita realmente ao usar uma roupa feminina, íntima ou não. 

Não se deve, porém, confundir o crosdressing com o travestismo. Ao contrário deste, o crossdressing é um jogo a dois, geralmente praticado entre quatro paredes por pessoas declaradamente heterossexuais.

O crossdressing não é novo e já se manifestou inclusive nas artes. O teatro japonês é um exemplo, mas a razão era cultural e tradicional porque as mulheres não podiam participar de peças teatrais e os homens as substituíam. Houve época em que os nobres europeus vestiam roupas adornadas e saltos altos com os quais ficou famoso o Rei Luis XV da França.

Estima-se que somente nos USA oito em oito milhões e meio de homens adultos praticam o crossdressing. Este é um segredo que a sociedade nos obrigou a guardar, mas é muito mais comum do que a maioria imagina e está dentro das chamadas atividades normais.
Alguns casos:
Depois de usar calcinhas de sua mulher (a ex-Spice Girl Victoria), fazer balayagem e raspar as sobrancelhas, o astro do futebol inglês David Beckham andou aplicando esmalte cor-de-rosa nas unhas. Fotografado com esmalte nas unhas, o jogador lançou a moda entre os britânicos. “Muitos homens estavam entrando na loja e pedindo esmalte. Os funcionários estavam um pouco confusos no início até que ficaram sabendo que Beckham tinha sido o culpado de tudo, disse o porta-voz de uma rede de supermercados em Londres.”

Edward VIII entrou para a História por ter abdicado do trono inglês em 1936 em nome do amor. Se permanecesse no poder, não poderia casar-se com Wallis Simpson, com quem viveu até o final de seus dias. A sua personalidade romântica foi arranhada anos atrás quando se soube que ele nutria simpatia pelos nazistas. Agora uma nota curiosa foi acrescentada a sua biografia. Edward gostava de vestir-se de mulher nas festas à fantasia de que participava.


Nenhum comentário