Header Ads

Homem que se passava por mulher é preso no interior do RS

Uma família de Ivoti descobriu ontem que a mulher contratada para cuidar de uma idosa é homem. E que se trata do acusado de pertencer a uma quadrilha de tráfico de drogas de Curitiba, no Paraná, chefiada por travestis. Em liberdade provisória desde junho do ano passado, o paranaense Everton Machado Carvalho, 26 anos, foi morar em Morro Reuter há um mês. Leu anúncio para trabalhar em uma casa no interior de Ivoti e se apresentou com o nome de uma amiga da terra natal.A maquiagem, os seios postiços e o traje feminino enganaram o agricultor que queria uma jovem atenciosa para cuidar da mãe de 82 anos. Gisele (Everton) foi admitida na segunda-feira. O travesti só foi desmascarado porque a ex-mulher do produtor rural, possivelmente com ciúmes da nova cuidadora, quebrou o carro dele a machadadas por volta do meio-dia de ontem. Foram todos para a delegacia, onde os policiais descobriram que Gisele era Everton. Ele foi autuado em flagrante por falsidade ideológica, com pena prevista de um a cinco anos de prisão, e deve ser conduzido hoje ao presídio.
Surpreso e desnorteado, no final da tarde de ontem, o agricultor tentava reorganizar o raciocínio. “É uma vergonha para nós, mas a gente que é da colônia não sabe muito dessas coisas. Ela (Everton) já tinha a nossa confiança”, comenta o produtor rural, que elogia o trabalho do travesti e lamenta que a mãe tenha se apegado a ele. “Ela (Everton) aceitou trabalhar por um salário mínimo e era muito querida com a minha mãe. Não tenho coragem de contar a verdade pra mãe, que adora ela (Everton). Como vou dizer que é um homem e acusado de drogas?” O ivotiense observa que o travesti deixou a mala na casa da família. “O que vou fazer com as roupas dele? Deixou tudo lá.” Outro trauma é com o Gol dele, que ficou bastante danificado em razão da fúria da ex-esposa. “Meu carro está todo quebrado na oficina. É muita tragédia num dia só.”

Do Jornal VDD  - A Imagem é meramente ilustrativa.




Para não ser preso por suspeita de tráfico de drogas no Paraná, um homem resolveu fugir para Ivoti, no Rio Grande do Sul, e começou a viver como mulher. Everton passou a ser Gisele. O travesti começou a trabalhar como cuidador de idosos e teve um caso com o próprio patrão. 
Porém, o romance acabou por revelar a sua identidade verdadeira. A aproximação do casal aconteceu quando Gabriel (foto) contratou Gisele para cuidar de sua mãe, que mora ao lado da casa que dividia com a mulher.
No entanto, Gabriel se desentendeu com a mulher, Rosane Perliti, e se mudou para a casa da mãe.
Rosane afirmou ter desconfiado da funcionária contratada pelo marido

— Muito estranha a voz, era de homem, por isso eu estranhei.
Desconfiada, Rosane foi a fundo na história e flagrou o marido e Gisele aos beijos. Nervosa com a situação, a mulher golpeou o carro usado pelo marido

— Para mim nunca tinha carro pra sair com as minhas filhas. Imagina um travesti no meu carro se exibindo na minha frente ainda!
Gabriel e Gisele foram à delegacia para registrar um boletim de ocorrência contra Rosane, quando descobriram a verdadeira identidade da cuidadora de idosos.
De acordo com o tente da Polícia Militar, Erlon César de Paulo, no momento da averiguação verificou-se que Gisele era de outro Estado:

— Vimos que era de outro Estado e descobrimos que ele havia sido preso por tráfico de drogas no Paraná. 
Envergonhado por ter se envolvido com Everton, Gabriel fugiu, mas antes ameaçou matar a mulher e queimar a casa. Everton está preso.
 Do TH

Um homem que se passava por mulher foi preso em Ivoti (RS), a 49 quilômetros de Porto Alegre, na quarta-feira. Everton Machado Carvalho, 26 anos, tinha sido contratado por uma família de agricultores para cuidar de uma idosa de 82 anos. De acordo com a Brigada Militar, ele havia se apresentado como Gisele, nome de uma amiga, após ter lido um anúncio de emprego.
[crossdressing.jpg]
Carvalho usava cabelos compridos, roupas e seios postiços que o faziam parecer uma mulher e ajudaram a enganar a família. Segundo a polícia, durante o pouco tempo que permaneceu como cuidador, o homem conquistou a simpatia da idosa.

A farsa só foi descoberta porque a ex-mulher do filho da idosa ficou com ciúmes do travesti e, na quarta-feira, danificou todo o carro do agricultor por volta do meio-dia. Todos foram levados para a delegacia e, durante os depoimentos, surgiu a desconfiança da verdadeira identidade de Gisele.

Em contato com a Polícia Civil do Paraná, os policiais gaúchos descobriram que Gisele na verdade era Everton. Além disso, ele tinha sido preso por fazer parte de uma quadrilha de tráfico de drogas chefiada por travestis e estava em liberdade condicional. O travesti foi autuado em flagrante por falsidade ideológica.

Do Terra

Nenhum comentário