Header Ads

O renomado Costureiro Leandro morre no Hospital após aplicação de Silicone industrial

 Leandro mas conhecido como Julye Almeida morre no Hospital Hélio Montezano nesta sexta-feira (10), um dia depois de injetar silicone industrial nas nádegas e no peito.  E João Paulo se encontra no hospital em observação.
Os dois rapazes, que eram travestis, moram em Santo Antônio de Pádua e teriam feito a aplicação em casa com um homem que veio do Rio de Janeiro para aplicar o produto e que se encontra foragido.
A Polícia Militar (PM) foi acionada e registrou o boletim de ocorrência.
Fique atento!
Um procedimento perigoso vem vitimando mulheres e travestis por todo o Brasil. O uso clandestino de silicone industrial em procedimentos estéticos representa grandes riscos à saúde.
Muitas mulheres e travestis, na busca do corpo desejado, estão recorrendo às injeções de silicone para aumentar glúteos, pernas e coxas.
Acontece que o silicone industrial não deve ser usado para fins estéticos. O produto quando injetado no organismo pode causar diversos problemas, deformações, dificuldades para andar, além de morte por infecção generalizada.
O silicone usado para modelar o corpo deve sempre estar dentro de implantes (as conhecidas próteses) e nunca na forma líquida, injetado diretamente no organismo.
O silicone industrial acaba aderindo ao músculo, podendo causar uma reação inflamatória e diversas complicações como edemas e até tumores.
A novela "Amor à Vida" está abordando o assunto e ressaltando a seriedade do problema. Na teledramaturgia, o personagem Félix (vivido pelo ator Mateus Solano) defende o uso do silicone industrial para o uso hospitalar, no entanto seu pai, César (vivido por Antônio Fagundes) é radicalmente contra.
Que a morte do Leandro (Julye Almeida), sirva de lição e de atenção para que outros travestis e mulheres não cometam o mesmo erro. Diversas homenagens estão sendo feitas nas redes sociais.
Teca Ângela
A morte é algo inesperado,as vezes ela chega devagarinho, e outras vezes ela vem de repente, sem avisar da dor que ela vai causar.
Somos uma vela acesa em meio ao relento. E se soubéssemos a hora da partida, faríamos tudo diferente. E quant
as pessoas já perdemos sem dizer a elas o quanto são importantes pra gente? E por que não dizer todos os dias que ama? Chorar sobre um caixão são apenas expressões de palavras que não foram citadas, pela rotina do dia a dia, vou sentir muita saudades.


Um travesti, identificado apenas como Leandro, mas que usava o codinome de Julye Almeida, morreu na sexta-feira (10/01), no Hospital Hélio Montezano, em Santo Antônio de Pádua. De acordo com as primeiras informações, ele era costureiro e deu entrada na unidade, um dia após ter recebido, juntamente com um amigo, silicone industrial nas nádegas e peito.
O outro rapaz, conhecido como João Paulo, segue em observação. De acordo com testemunhas, a aplicação teria sido realizada na casa da vítima, por um homem desconhecido, vindo do Rio de Janeiro. A polícia tenta identificar esta pessoa. A 136ª Delegacia Legal instaurou inquérito para investigar.
Da Radio Itaperuna FM. (*) Com informações da Rádio Natividade

Nenhum comentário