Header Ads

Ex-bailarino de Mara Maravilha vira 'transexual'

Durante três anos, o talento do menino Eric Gustavo de Souza, então com 6 anos, animou o elenco infantil do programa comandado por Mara Maravilha, o “Mara Maravilha show”, na Record.
Eric, da cidade de Pedreira, no interior de São Paulo, foi uma das três crianças aprovadas em uma audição para escolher os bailarinos que animariam a atração. Durante o tempo em que o programa ficou no ar, de 1996 a 1997, ele dançava no palco com Mara e também se vestia de macaquinho ao lado dos palhaços Mostarda e Ketchup.
Hoje, Eric não existe mais. Em sua documentação ele traz o nome de Kiara Souza. Ele virou transexual e se prepara para realizar a cirurgia de troca de sexo no ano que vem na Tailândia. “Há um ano ganhei na Justiça o direito de me chamar Kiara”, comemora a paulista de 25 anos, que se deu esse nome em homenagem à avó italiana, Ífola: “Quando minha mãe estava grávida de mim achavam que eu seria menina e esse era o nome que minha avó me deu.”
Kiara nunca teve dúvida de que ocupava um corpo errado. Na infância adorava brincar de boneca e vestir a roupa que a mãe usou no seu casamento. Ela era sempre a noiva.
Balé no lugar do futebol
O pai, Garcindo, nunca aceitou ter um filho tão afeminado e o obrigava a jogar futebol. Como era levada às aulas pelo irmão mais velho, o ludibriava e, em vez de ir para o campo atrás da bola, ficava brincando na piscina do clube. “Eu era uma menina e odiava futebol. Sempre gostei de dançar. Comecei a fazer balé ainda menininho. Foi um choque para o meu pai quando me matriculei aos 5 anos no balé. Mas sempre tive personalidade e contei com o apoio da minha mãe para fazer a dança”, lembra ela.
Certa da opção sexual apresentada pelo filho desde criança, a mãe de Kiara, a esteticista Sônia, resolveu atender a sua vontade e a levou ao ginecologista. Aos 10 anos, ela deu início a sua transformação: “Tomava uma injeção de estrogênio a cada 15 dias. Meus seios começaram a se desenvolver e, aos 12 anos, minha mãe comprou meu primeiro sutiã. Aos 15 anos, coloquei silicone.”
Certa e feliz com sua opção, só uma coisa estava fora da ordem: se olhar no espelho e constar que o órgão sexual não combinava com sua nova condição. “É difícil. Nada fica bem. Vou a praia de shortinho e só fico com a calcinha do biquíni rapidamente para dar um mergulho no mar”, diz. Para a troca de sexo Kiara já passou por todos os procedimentos exigidos pela lei. Teve acompanhamento psicológico e agora se prepara para a cirurgia: “Custará R$ 15 mil e já estou pagando aos poucos.”
Além de professora de balé para crianças, Kiara também é atriz e vem estudando canto para atuar em musicais. Ela mora sozinha na casa que era da família na mesma cidade e há quatro anos namora Luís Otávio, segurança particular de um empresário. “Ele me assume!”, comemora ela, que diz trazer no currículo envolvimento com atores famosos: “Já fui cantada por muitos artistas e já saí com alguns, mas não posso dar nomes.”

Do TH

Nenhum comentário