Header Ads

Marcela Porto faz sucesso com seus hits de funk e conquista respeito.

Vencer preconceitos, ter atitude e passar por transformações sem medo. Essa é a história de Bruno Rogério Machado, hoje Marcela Porto, ou melhor, Mulher Abacaxi. De motorista de caminhão, Marcela, 33 anos, virou funkeira e a primeira ring girl transex do mundo. A loura de cabelão, que um dia tinha cabelos curtos, ainda ostenta o título de Miss Brasil Gay – USA.
A história de Marcela Porto não começou da noite para o dia. Filha de um empresário no ramo de transporte de minérios e de uma dona de casa, a jovem assumiu os negócios do pai e passou a comandar os funcionários da empresa, localizada em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Afinal, experiência no ramo nunca lhe faltou.
“Quando fiz 18 anos, fui tentar a vida nos Estados Unidos. Quando cheguei, o primeiro emprego que pintou foi de caminhoneiro. Fazia entregas de frutas e legumes em Nova Iorque”, conta.
De acordo com a Mulher Abacaxi, sua transformação começou em 2007 e teve um pequeno “empurrão” de uma amiga. Na época, ainda como Bruno, ela foi convidada a participar de um concurso de beleza. Porém, não sabia que se tratava do concurso Miss Brasil Gay – USA.
“Quando estava chegando próximo do evento, minha amiga disse: vamos comprar sua peruca e os vestidos. Quase morri e disse que não iria. Ela acabou me convencendo e eu acabei vencendo a disputa”, recorda.
Três anos depois, Bruno decidiu se transformar e virar Marcela de vez.
“Não era feliz. De dia eu era o playboy e de noite me vistia de mulher para ir à balada gay. Até que um dia, disse para minha mãe que ia me transformar de vez. Coloquei silicone e comecei a fazer shows como Mulher Abacaxi. O resultado está até hoje por aí”, conta

Quebrando barreiras
De lá para cá, Marcela quebrou barreiras e foi conquistando, literalmente, o mundo. Mulher Abacaxi já se apresentou na França, Irlanda e Londres, chegando a ser capa, inúmeras vezes, do tabloide inglês ‘The sun’.
Se Mulher Abacaxi faz sucesso lá fora, imagine em sua terra natal. Nas comunidades cariocas quem é celebridade, é ela. Sua música ‘Então, tá’ segue estourada por aqui. E seu sucesso não para por aí. Marcela recebeu convite, do diretor do Favela Kombat, para ocupar o posto de primeira ring girl transexual do mundo. Lógico, que a preocupação bateu na cabeça da moça.
“Tive medo do preconceito e dos homens se sentirem prejudicados, mas a recepção da plateia foi maravilhosa”, lembra.
A recepção foi boa não só do público, mas dos famosos. Durante um evento de MMA, na Vila Cruzeiro, Marcela Porto foi tietada pelo jogador Adriano. A próxima apresentação da loura será em setembro, no Favela Kombat. E aí, vai encarar?
Do TUBE

Nenhum comentário