Header Ads

Professora alega ter sido demitida de escola por ser transexual

Luiz Otávio Pereira Coppieters, hoje Luiza, professora de filosofia, teve uma surpresa quando resolveu assumir sua transexualidade: a demissão. Conforme o site G1, de São Paulo, ela acusa um tradicional colégio particular da Grande São Paulo de demiti-la, em junho deste ano, por preconceito. A revelação ocorreu no final de 2014, mas a demissão aconteceu neste ano.
A escola negou a acusação de que a demissão tenha sido motivada por discriminação. O Anglo Leonardo da Vinci informou que demissão da professora foi motivada “por problemas de ordem profissional”, sem detalhar os motivos do desligamento.
De 2009 a 2013, a educadora, de 35 anos, formada pela Universidade de São Paulo (USP), dava aulas no colégio inicialmente como Luiz  Coppieters. Em 2014, porém, ela contou aos alunos que o professor Luizão era, “na verdade”, Luiza. A transição entre os gêneros havia se tornado pública em novembro passado, quando ela postou uma foto maquiada no Facebook, o que aguçou a curiosidade.
"Eu era o Luizão, o ogro do Anglo, para você ter uma ideia o nível que eu cheguei lá”, disse a professora. “Na terceira turma, tinha um moleque mais solto e: ‘ô, Luizão, que que é aquele seu pseufacebook lá?’ ‘Ah, então vocês querem saber. É o seguinte: eu sou transexual. O tio Luiz na verdade é tia Luiza'”.
A partir deste momento, saiu de cena Luiz e entrou a professora Luiza. “Na verdade não é que eu me descobri transexual. Foi uma coisa assim: eu não aguento mais viver como homem”, afirmou. “Eu passei minha vida inteira, milhares de noites, sem dormir, querendo acordar mulher, acordar menina. Sempre tive essa angústia”.

Do DM

Nenhum comentário