Header Ads

"Quero interpretar personagens que me desafiem", diz Laverne Cox, atriz transexual de Orange Is The New Black



Laverne Cox é talvez hoje a mais famosa atriz transgênero do mundo. Por isso é natural que, a uma semana da pré-estreia da terceira temporada da premiada série "Orange Is The New Black" (disponível no Netflix), a americana tenha passado horas ao telefone respondendo a perguntas de jornalistas sobre Caitlyn Jenner, identidade feminina adotada pelo ex-atleta olímpico Bruce Jenner após estampar a capa da Vanity Fair este ano.
Natural, também, que numa conferência com repórteres da América Latina para promover a série, em que interpreta a personagem transexual Sophia Burset, essa tenha sido a única exigência: “sem perguntas sobre Caitlyn”. Parte das impressões de Laverne sobre a transição do padrasto de Kim Kardashian, ela já havia compartilhado em sua conta no Tumblr, na qual pontuou que Jenner deveria ser parabenizada por sua coragem, não por sua nova aparência.

“Quando sua transição ocorre diante do público, ela se torna o assunto. Sempre me incomodo quando ouço conversas sobre pessoas trans que focam na cirurgia. Mas acredito que Caitlyn vai conseguir transcender esse momento”, escreveu. "Laverne, você é feroz e fabulosa! Seu apoio signifca o mundo para mim. Muito obrigada por tudo que você fez pela comunidade", respondeu Caitlyn via Twitter.

Laverne tem consciência de ter se tornado um modelo para a comunidade transgênero, o que credita à série, pela qual se tornou a primeira atriz trans a ser indicada a um Emmy. “Me emociona fazer parte de um projeto que tem ajudado a mudar a vida das pessoas, fazendo com que mudem sua forma de pensar e vivam suas vidas de forma mais autêntica”, diz ela durante a entrevista por telefone da qual Marie Claire participou.
Na terceira temporada da série, Sophia -um ex-bombeiro que nos flashbacks é vivido pelo irmão gêmeo de Laverne, o músico M Lamar-, se vê às voltas com a angústia de não poder acompanhar o crescimento do filho, agora um pré-adolescente, e é vítima da violência das outras presas após bater de frente com Gloria.

A atriz, que antes de OITNB interpretou sete vezes personagens prostitutas, diz que não vê a questão como um problema. “Eu sei que essa é uma realidade na carreira de muitas pessoas trans. E foram oportunidades para me tornar melhor como artista”, diz. “Meu desejo é poder interpretar personagens interessantes, complexas, que me desafiem.”
Após o sucesso da série do Netflix, diz estar empolgada com o novo drama que deve estrear no canal CBS, “Doubt”, dos mesmos produtores de “Grey’s Anatomy”. Na trama, interpretará uma advogada transexual cuja discriminação que sofreu alimenta ainda mais seu desejo por justiça. A atriz, que também estudou direito, afirma que tampouco precisou fazer laboratório para viver Sophie Burset –presa após fraudar o cartão de crédito para pagar o tratamento hormonal.
“Infelizmente, eu tive minhas próprias experiências com violência, algo que muitas pessoas trans vivenciam. Busco na minha própria reserva emocional esses sentimentos”, diz. As semelhanças com as personagens, no entanto, param por aí. Laverne afirma que o que mais a fascinou ao ler o roteiro do piloto de OITNB foi a convivência das presas, o fato de Sophia ser mãe, esposa e tão diferente dela mesma.

Na vida real, a atriz –que foi uma das convidadas do tradicional jantar anual com os correspondentes internacionais promovido pelo presidente Barack Obama e a primeira-dama Michelle- diz ainda estar tentando entender qual o seu novo papel. “Muita coisa na minha vida mudou nos últimos anos, eu não sou mais a mesma pessoa de três anos atrás. No momento, tenho tentado equilibrar meus projetos artísticos, me desafiando criativamente e me tornar melhor naquilo que eu quero que seja minha profissão em tempo integral.”

Nenhum comentário