Header Ads

Aluna transexual deve usar vestiário feminino da escola, dizem EUA

O governo dos Estados Unidos decidiu, em outubro, que o distrito escolar Township High School District 211, no subúrbio de Chicago, deve permitir que uma aluna transexual use o vestiário feminino. A ordem, no entanto, não foi aceita pelo colégio onde ela estuda.

A estudante é identificada pela escola como mulher, frequenta as aulas de educação física na turma das meninas e usa o banheiro feminino. No entanto, não pode frequentar o local onde as alunas trocam de roupa e tomam banho.

A decisão do departamento de educação e direitos civis dos Estados Unidos julgou, após queixa registrada em 2013, que o distrito de Chicago está violando as regras de não-discriminação.

De acordo com a decisão do governo, será dado o prazo de um mês para que a entrada da aluna transexual nos vestiários seja permitida.

Em resposta, a instituição de ensino afirmou que a decisão é “um exagero” e que a estudante pode usar o espaço feminino, desde que troque de vestimenta e tome banho em espaço privado.



De acordo com investigação do governo federal, no momento, o distrito escolar oferece à aluna um local separado para a troca de roupa, distante de onde ocorrem as aulas de ginástica.

Segundo a agência de notícias Reuters, o distrito recebeu, em 2014, 6 milhões de dólares por estar em conformidade com as regras de não-discriminação. Mas, diante da recusa em cumprir a ordem, as verbas serão cortadas.

Em comunicado divulgado publicamente, a ACLU (American Civil Liberties Union of Illnois) diz que “pessoas jovens transexuais já têm maior risco de sofrer bullying, assédio, discriminação e de serem forçadas a abandonar a escola. Políticas discriminatórias, como a desse distrito, colocam esses estudantes vulneráveis a maiores riscos de ofensas.”

Por ser menor de idade, a identidade da menina está sendo preservada pelas autoridades.

Do G1

Nenhum comentário