Header Ads

Conto: Minha Primeira vez de cdzinha com amigo da Internet !

Minha Primeira vez com amigo da Internet Oi pessoal,sou NIKITA UMA CDZINHA Sempre li contos eróticos e sempre tive uma vontade louca de relatar alguma experiência sexual minha, com o único objetivo de que os leitores sintam um tesão enorme! Mas faltava a tal da experiência verdadeira... Bem... não falta mais! Vou contar pra vocês como foi a minha primeira vez como crossdresser, que aconteceu na última quarta-feira, 10/7/2013, e como cheguei até lá. Vou falar sempre no feminino, pois CDzinha que é CDzinha deve agir como menina! kkkk Tenho 39 anos, mas desde a adolescência tenho meus amassos, mas sempre sem penetração em mim.
O principal era com meu primo, um ano mais velho que eu. Ele, gay, sempre curtia me mamar e ser comido por mim no quarto que dividíamos toda vez que ele visitava a minha família. Eu adorava! Mas, um dia, ele virou e pediu prá eu provar o gosto do pau dele... hummmm... saboreei... Desse dia em diante, eu sempre ativa, às vezes chupava o cacete dele para provocar tesão nos dois. E não passou disso. Mas o gosto do pau e a vontade de brincar como passiva ficaram... Sozinha em casa, puxava as cuecas até entrar bem no bumbum e me admirar no espelho. Minha bunda e peitos lisos por natureza facilitavam que eu ficasse gostosa. Quando comecei a ter namoradas fixas e liberdade na casa delas pude experimentar roupas femininas. Nossa... me sentia realizada...! Sempre que podia vestia calcinhas escondida. O contato da rendinha com o corpo nu, o tecido liso de seda, o fiozinho forçando a entra da bundinha e meu grelão pra baixo me deixavam sempre bem molhada. Aos poucos fui descobrindo que essa fantasia que eu curtia tinha nome: crossdress. Algo como "roupas opostas". Ou seja, agir no dia-a-dia como homem mas sentir prazer em usar as roupas do sexo oposto... Bem... estar vestida de mulher é um passinho para experimentar o que uma mulher sente... e esse desejo que passei a alimentar. Usei em mim todos os consolos da minha mulher.
Vesti todas as calcinhas e fantasias sensuais que comprava "para ela". Quando sozinha em casa passei a me fotografar para dividir com os amigos da internet. Nossa... quando descobri como os homens ficavam excitados na webcam me assistindo meter vibradores de calcinha, fiquei tarada! Virei uma putinha virtual... kkkk. Numa só noite fiz 9 homens gozarem on line!
Adoro ver leite espirrando! Percebi que eu ficava muito mais excitada com eles no comando, dizendo posições, me mandando ficar de quatro, escolhendo que roupas eu ia vestir e o que eu ia meter no cuzinho. Um dos mais gostosos mandou eu enterrar um consolo inteiro e botar, prendendo ele, uma calcinha bem cavada. Por cima, mandou eu vestir um shortinho bem apertado... Depois mandou eu rebolar em frente à CAM e me tocar com um dedinho em círculos por cima da roupa fazendo meu pau de grelinho... Gozei assim! Feito uma putinha... Adorei e vi que queria um homem de verdade no meu comando... Comecei a juntar um pequeno "enxoval" que escondo no trabalho, meia calça, cinta-liga, calcinha, sutiã, pijaminha de dormir, vestidinho. Além disso reforcei os brinquedinhos domésticos. Umas das aquisições foi um aparelho de castidade masculina. Com ele, meu grelinho fica trancado com cadeado e eu, sem a chave, sou obrigada a ter prazer sem poder tocar nele... ou seja, só posso gozar pela bundinha, mexer nos peitinhos, me alisar... feito menina...
Me cadastrei em alguns sites até encontrar o "Sexo com Café". Recebi vários e vários recados e passei a me deliciar vendo os cacetes de todos os tipos. Tomei coragem e anunciei que eu queria real perto do meu trabalho. Eu disse que a hora em que aparecesse um cara que dissesse "Nykki eu pago pra você um motel na Dutra, aqui no Rio, pela manhã, eu ficaria de quatro prá ele na cama". Quer fantasia maior para uma CDzinha do que um macho pagando o motel pra comê-la?
Vários caras, um mais gostoso que o outro me mandaram mensagens, mas nenhum nas condições que falei. Até que um de deles me surpreendeu pela objetividade, dizendo que queria cravar no meu rabo lindo no dia seguinte de manhã e que pagaria o motel xxxx baratinho, mas limpinho, lá perto do meu trabalho. Mandou eu me vestir de menininha bem sexy e pediu meu celular. Nossa... era a hora. Fiquei excitadíssima e nervosa no instante em que li! Olhei as fotos do pau dele... não muito grosso mas bonito e e-nor-me. Parecia mesmo saboroso... que vontade de mamar aquela coisa. 
Mas nossa... no dia seguinte? Trocamos mensagens num chat e vi que ele estava mesmo muito a fim. Ele sempre muito decidido não me deixou amarelar. Marcamos de nos falar às 9:30 da manhã no motel na Dutra. Eu levaria as camisinhas para ele (outra fantasia minha... escolher e comprar camisinhas para ser comida... hummmm) e ele pagaria o motel. Dia seguinte acordei cedinho querendo desistir e sem acreditar no que estava prá acontecer. Mas, mesmo assim, fiz uma higiene anal caprichadíssima e lubrifiquei o cuzinho passando óleo sabor morango. Prá ter certeza que sentiria prazer apenas como mulher coloquei o aparelho de castidade no meu grelão e deixei a chave em casa. Fiz a barba e depilei o cuzinho, virilha e axilas. Vesti uma calcinha confortável por baixo das roupas de homem. Me atrasei um pouquinho propositadamente para passar numa lojinha onde comprei uma tanguinha, cinta-liga e meia 7/8" novas vermelhas. Depois fui até o trabalho pegar o resto das minhas roupinhas. Como não conhecia o gato direito, tomei o cuidado de deixar um aviso sobre onde eu estava, para alguma urgência. Nervosa, liguei para o gato. Ele só atendeu depois de umas duas tentativas minhas. Nossa, quase fiquei muda... Nessa hora já queria que ele desistisse... kkkkk. Mas ele não voltou atrás. Disse que era prá eu ir e me arrumar bem gostosinha que, em 15 minutos ele estaria lá. Ao chegar no motel a constrangedora pergunta do recepcionista me deixou exposta: "-Espera alguém chegar?" Ao responder que sim percebi que aquele seria o dia... No quarto, botei um filme erótico para relaxar e fiquei nua. Guardei minhas roupas e sapatos de homem no banheiro para, quando o gato chegar, ficar bem claro que só haveria um macho ali: ele. Vesti a calcinha preta, as meias vermelhas, prendi a cinta-liga e coloquei o sutiã que finge que eu tenho seios. Olhei o resultado no espelho. Parecia uma adolescente se arrumando para seu primeiro namorado, nervosa, nervosa. Mas eu estava realmente gostosa no espelho do motel! Tirei algumas fotos e coloquei camisolinha por cima da roupa prá poder provocar um climazinho. Enquanto eu me arrumava ele ligou para dizer que estava no caminho e em 10 minutos estaria ali! Ali! No quarto! Comigo vestida de mulher!!! Que pânico! Ninguém nunca tinha me visto assim! E que tesão...! Quando me excitei, e vi que meu grelão não podia endurecer por causa da castidade masculina, nem eu podia tocar nele, pensei: "Nykki, você está prontinha pra virar menina". Na falta de outro lugar pra mexer, enfiei um dedinho no cuzinho aumentando mais o meu tesão. 
O interfone tocou da recepção: "- O senhor espera alguém". "- Sim". Que mistura de tesão e vergonha...Ele tocou a campanhia do quarto. Acendi e apaguei as luzes duas vezes sem saber ao certo a luminosidade adequada para recebê-lo... kkkk. Abri a porta e um lindo e largo sorriso me esperava. Um pouquinho mais baixo que eu, moreno claro, corpo saradinho com pouquinha barriguinha "de chopp", 31 anos, de boné, camisa de mangas curtas, bermuda, chinelo... todo à vontade prá comer sua fêmea... Eu tremia de vergonha, nervoso e ansiedade. Um homem ali na minha frente e, pela primeira vez, era vista vestida de mulher. Ele todo garotão fudedor e eu de camisolinha, meias 7/8" e cinta-liga. Não sabia bem como recebê-lo e me inclinei para dar dois beijinhos na sua face e fui retribuída. Aí caiu a ficha. Eu era a garota mesmo... Trouxe ele para o quarto de mão dada e, ao me ver no espelho, senti falta de peruca, maquiagem e um vestidinho mais sexy... Queria estar mais mulher para aquele homem. Senti que a putinha dentro de mim estava saindo... Coloquei ele em pé ao lado da cama e passei a mão no pau dele por cima da bermuda... Deu pra sentir que o volume era grande, bem maior que imaginei...
Perguntei se poderia tirar sua bermuda. Ele concordou e abaixei-a já sentada na lateral da cama. Ele estava de sunga de praia vermelha debaixo da roupa... Desamarrou e abaixei a sunga... pulou na hora, ali a centímetros da minha cara, um lindo pauzão moreno ainda meio mole. Me agachei no chão e comecei a mamá-lo assim mesmo, ao lado da cama. Adoro sentir a vara crescendo dentro da minha boca, mas como ele ainda não tinha relaxado tive o prazer de ficar alguns minutos chupando ele molinho inteiro na minha boca e sentindo seus pentelhos roçarem nos meus lábios e nariz. Cheirei o pau, o saco e os pelos pra sentir bem o cheiro de macho e pensei no meu grelo ali embaixo todo casto depilado, lisinho, guardado a chave... Ele estava ali em pé admirando a minha mamada e senti aquele volume começar a crescer e a preencher mais a minha boca... um meladinho salgado já saía da ponta do cacete e me assustei um pouquinho, mas continuei mamando até ele começar a mexer os quadris empurrando enquanto eu sentia aquela rola invadindo minha boca. Levantei e virei a bunda prá ele e pedi para tirar o meu shortinho do pijama. Rapidamente ele me deixou com o rabo exposto pra ele e perguntei: - Foi essa bunda que você viu na internet? Gosta...? - Que rabão gostoso... hummmm... está uma puta... gostosa - a visão da minha bunda de cinta-liga e calcinha deixou ele bem excitado... - Vem esfregar esse pauzão na minha bunda - falei enquanto ficava de quatro na cama e ajeitava a cinta. Nesse instante me olhei no espelho e vi que eu estava uma vadia... cinta-liga e meias vermelhas, calcinha de renda preta puxada para o lado, de quatro e um macho atras de mim de joelhos na cama, usando minha bunda para endurecer seu pau esfregando ele na minha bunda e cuzinho... hummmm.. .gemi de prazer... finalmente estava chegando a hora de ser comida. Pedi para ele deitar confortável para eu mamar. Nessa posição é que vi bem como era comprido aquele pau! Lambi o saco, toda a extensão da vara e suguei bem a cabecinha enquanto passava a língua no freio. Chupava e apertava com os lábios e língua sentindo o gosto e cheiro do macho tesudo. Ele cresceu mais ainda!!! E tentei engolir tudo... e engasguei três vezes... Como é bom engasgar com uma piroca na garganta!!!!! É se sentir humilhada, puta e safada. Pedi para ele voltar para a posição anterior e ele ficou ali roçando com vontade e cutucando meu furinho sem enfiar por um tempinho... parecia se divertir bastante com a minha ansiedade para tomar na bundinha! Enquanto esfregava, o safado pediu meu lubrificante e começou a lambuzar meu cuzinho e bunda com o pau e o dedo. Nesse instante, peguei uma camisinha que levei e, entre gemidos de tesão, eu tentava abri-la ainda deitada de quatro, com a cara no colchão. Quando consegui, virei para aquele cacete enorme e duro e pedi: - Deixa eu te vestir pra você comer a sua putinha? Mas não aguentei e enfiei a boca de novo naquela vara enorme. Vesti a camisinha rapidinho nele, ajudando com a boca, enquanto ele estava bem duro, imitando o que via nos filmes de sacanagem. Pronto, meu macho estava preparado e o meu cuzinho lubrificado.
- Chega mais prá ponta da cama e fica de quatro pra levar vara, vagabunda. Ele mandou e obedeci rápido, bem passiva. Nessa posição, eu estava com o cuzinho totalmente aberto, exposto e com tesão. Senti o cacete lisinho, macio, duro e lubrificado encostar na portinha, no lugar certinho onde eu metia meus consolos. Levei uns tapas na bunda e tremi um pouco de tesão. Ele começou a forçar, mas ainda não entrava... percebi que tinha que relaxar mais. Deitei mais o rosto na cama e relaxei as pernas e a musculatura do cuzinho... nesse momento me entreguei e deixei por conta dele me fazer de fêmea. Era a hora de sentir o quê uma mulher sente.Ele continuou colocando pressão e senti a cabecinha do seu pau me abrindo e deslizando bem macia para dentro de mim. Dei um leve gemido de tesão e senti uma dorzinha gostosa, enquanto ele continuava empurrando a cacete todo. Doeu um pouquinho enquanto eu me sentia alargada... eu estava em êxtase me sentindo puta. Olhei pelo espelho e a cena era linda: eu com um macho se enterrando na minha bunda... A tranquilidade acabou quando ele começou a bombar... ai... começou um vai-e-vem, firme e me xingando: - Gosta de pau, né, vagabunda? Hummmmmm que cuzinho gostoso... Gosta, né puta, toma pica, toma... Logo começou a meter firme e mais fundo me segurando pelos quadris. - Não queria pau, vadia? Toma. E tapa na bunda, pau e tapa na bunda, pau e tapa na bunda... ai... aiiii... como eu gemia com aquela vara que não tinha pena do meu cuzinho. Não satisfeito ele me fez chegar prá frente, ainda de quatro, e subiu na cama para montar em cima de mim, me fazendo de cadela. Nossa... levei um susto achando que não ia aguentar quando senti como o cacete entra fundo assim...! Caralho, o cara era bom! Socava fundo e duro e cada vez que batia no fundo eu gemia feita uma cadela... Ainda me humilhava dizendo: - Hummm que delícia de cuzinho, vadia. Gosta de pau no rabo, né puta...? - E socava mais forte e fundo, sem pena... Tentei pegar o celular para ele tirar fotos, mas em vão... cada vez que tentava pegar ele bombava mais forte e eu gemia. Acho que se divertia vendo que eu não conseguia ligar a câmera do celular com ele me socando o pau... Deu mais uma ordem: - Deita de lado... - Assim que você quer? Está bom? - Isso, vagabunda... hummmm que cuzinho gostoso de putinha... - tirou e meteu com vontade mesmo...! - Ai... ai... tá me arrombando... E estava mesmo! Para minha surpresa, agora eu sentia cutucar mais fundo ainda! Sentia socar tudo dentro de mim. Que pressão lá no fundo. E doía la no finalzinho. Cada socada um grito. Ele começou a bombar no ritmo dos meus gemidos se excitando com minha agonia com o pau dele na enterrado até as bolas. Eu sentia os pentelhos dele roçando na minha bunda totalmente tarado e me rasgando... Num movimento mais forte e fundo senti abrir a última prega bem lá dentro...a dor diminuiu um pouco, senti entrar mais e as bolas baterem mais em mim. Fiquei de quatro de novo e pedi pra ele meter mais forte... Nessa hora, acho que gozei... relaxei totalmente e abri a bunda pra ele. - Isso abre a bundinha pra eu te comer... hummmm... delícia de cuzinho... abre bem e sente. E soltei mais, empurrando a bunda contra ele. - Sente que vou apertar seu pau com meu cuzinho... ai... ai... não consigo... ele é muito duro e firme... quando tento apertar ele me arromba mais.. ai.... puto gostoso! Caralhudo! Pauzudo! Macho safadooooo! Nossa... eu estava totalmente vadia, aberta e exposta. O rabo estava arregaçado e arrombado. Mais um pouco de foda e rola, ele me mandou ficar de lado enquanto de joelhos ao meu lado metia fundo. Eu apertava os peitinhos e sentia a vara passivamente. Como estava gostoso. - Hummmmm... esse cuzinho está tão gostoso que acho que vou gozar aqui nele mesmo... onde você quer leite, putinha...? - Ai, gostosooo... não goza aí não, que quero ver seu leitinho todo... me dá um banho de porra! Goza aqui em cima dos meus peinhos... me mela toda que quero ver seu leite... tesudo!

Ele tirou da bunda e tirou a camisinha, e bateu uma punheta bem perto da minha cara. Lindo e comprido... A expectativa de tomar um banho de porra era sensacional! E ele gozou, gozou, gozou, gemendo, urrando de tesão por ter me comido. Cada jato e gota que pingava me dava mais tesão... todas bem quentes!... Fiquei toda melada!!!! Quanto leite aquele macho soltou!!! Olhou prá mim e deu um sorriso largo bem tesudo... Ele foi se limpar e, só aí consegui ligar o celular e tirar algumas fotos cheia de porra... nossa eu estava muito melada... Depois ele deitou na cama, todo "macho do pedaço", e puxou conversa comigo. Ele estava satisfeito e eu ali, toda mulherzinha, arrombada no cuzinho, sentindo todas as pregas arreganhadas... Senti uma pontinha de vergonha e tesão. Finalmente eu tinha me sentido fêmea, puta, vadia e consegui satisfazer um homem. Estava com meu grelão todo melado e sem poder ser homem e deixar ele duro... fui no banheiro e passei o dedo no cuzinho... estava largo, macio e lubrificado... Ele chamou a recepção e pagou o motel, conforme combinado. Eu me vestia e ouvi enquanto ele perguntava o preço ao atendente na antesala e pagava. E eu ali, no quarto, na beira da cama, me sentindo usada, aberta e feliz... que sensação gostosa... deliciosa... Finalmente tinha me transformado numa putinha. Assim virei uma CDzinha completa e vadia!!!!!!!!!!!

Nenhum comentário