Header Ads

Travesti é assassinada com golpes de faca em Juazeiro do Norte

Uma travesti foi assassinada a facadas na madrugada deste domingo (14), em Juazeiro do Norte, Região do Cariri do Estado.
De acordo com a Polícia Militar, Francisco Carlos de Miranda de 31 anos, que também usava o nome de "Ketlin" estava em rua próximo ao Terminal Rodoviário da cidade quando foi abordado por um homem. O suspeito efetuou vários golpes contra a travesti que morreu ainda no local.
A polícia apurou com familiares que "Ketlin" já tinha relatado vários casos de preconceito. A Delegacia Regional de Juazeiro do Norte (20ª Região) investiga o caso. Até a manhã desta segunda-feira (15), ninguém foi preso. 

Do G1

Uma travesti foi assassinada a facadas em Juazeiro do Norte, na região do Cariri cearense, na madrugada de sábado, 13. A vítima do homicídio é Ketlin, cujo nome de registro é Francisco Carlos Miranda, 31 anos, segundo informações da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).
Um procedimento sobre o caso foi instaurado na Delegacia Regional do município, mas as investigações serão realizadas pela unidade da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa, em Juazeiro do Norte. Até o momento, ninguém foi preso.
O POVO Online tentou entrar em contato com o delegado responsável pelas investigações, Giovanni Aquino, mas as ligações não foram atendidas.
Coordenadoria de Políticas Públicas para LGBT
O coordenador estadual de Políticas Públicas para LGBT, Narciso Juniro, que tomou conhecimento do caso através da imprensa, lamentou mais um caso de homicídio contra travesti. "Acredito que por mais que o Estado tenha se preocupado em implementar políticas públicas que garanta o direito, ainda assim a sociedade tem construído reações homofóbicas e transfóbicas", disse ele.
Narciso cita os avanços nas políticas públicas conquistados recentemente, após o caso da travesti Dandara dos Santos. Em março deste ano, foi assinado decreto que determina o atendimento de travestis e transexuais nas Delegacias da Mulher do Ceará, além do direito de ter o nome social respeitado nos serviços prestados na estrutura do Governo.
"Campanhas de conscientização ao respeito à diversidade sexual têm sido feitas, os trabalhos nos municípios do Interior, mas ainda assim a gente se depara com situações como essa (da morte de Ketlin)", comentou.
No próximo dia 23, o secretário da Segurança Pública, André Costa, se reunirá com membros da Coordenadoria de Políticas Públicas para LGBT, segundo Narciso. A pauta não foi divulgada.
Crime contra travestis
Homicídios contra travesti tiveram repercussão no primeiro trimestre do ano. Um deles é o caso Dandara dos Santos, espancada até a morte no dia 15 de fevereiro, no bairro Bom Jardim. O crime foi filmado e divulgado nas redes sociais.
A travesti Hérica Izidório, 24, também foi vítima de homicídio em Fortaleza. Ela foi espancada na avenida José Bastos, quando voltava de uma festa de Pré-Carnaval. Ela teve lesões na cabeça e no rosto e morreu após dois meses internada em coma no Instituto Dr. José Frota (IJF).

Do O Povo 
 

Nenhum comentário