Uma Crossdresser Gordinha Complicada e Imperfeita

Mostrando postagens com marcador Montagem. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Montagem. Mostrar todas as postagens

Reflexões e Desabafos - Minha vida como crossdresser

Eu era um garotinho quando minha mãe me vestiu pela primeira vez. Eu acho que é quando meu crossdressing começou. Eu sou um homem e não quero mudar meu sexo, mas cresci com duas irmãs. 

Eu sempre gostei de crossdressing, então se minha esposa quisesse me vestir, eu não lutaria contra isso. Eu sinto que sou uma mulher no corpo de um homem. Eu não escondo nada da minha esposa, então ela sabe que eu me visto. Ela não é a favor do meu crossdressing mas ela me ama e eu a amo.

Eu sei que não sou mulher e não estou interessada em namorar homens. Eu fico relaxado quando me visto. Eu gosto da sensação da roupa. Eu compro todas as minhas coisas que eu uso.

Se você acha que é errado se vestir, então por que Deus nos colocou aqui sem roupa? Eu não acho que Deus disse que essas roupas são apenas para homens e essas roupas são para mulheres e apenas mulheres. Então, assim como outros homens gostam de esportes, eu gosto de "me vestir de mulher". Eles têm seus hobbies e o meu é crossdressing.

Eu não tento me tornar algo que eu não sou. Eu me visto porque gosto do jeito que me sinto e isso me relaxa. Lucy Quero agradecer por este site. Eu também não gosto de pornografia. Então Lucy esta é a minha vida. 

Tenho 62 anos e aproveito minha vida com minha parceira e esposa, a quem eu amo mais do que qualquer coisa.

Obrigado por ouvir minha história e espero que tenha gostado de ler tanto quanto eu gostei de contar.

 

Por Jammey - Do World of Crossdressing - Adaptação e foto By Katia Steelman Walker 
Share:

Crossdresser: Um olhar sobre os conceitos de Crossdressing e Crossdresser

Na Biologia o genótipo é a composição genética de cada ser vivo adquirida hereditariamente.

A definição de gênero, genotipicamente falando, é dada pelo Sistema XY, no qual, majoritariamente, o gênero feminino é XX e o masculino é XY. Já o fenótipo consiste nas características externamente visíveis de um determinado genótipo, como aparência e comportamento.

Assim, quanto ao gênero, podemos falar em fenótipo feminino e fenótipo masculino.
Uma pessoa com genótipo e fenótipo masculinos que se não identifica com o gênero masculino pode buscar uma transição para o gênero feminino, da mesma forma que pessoas do gênero feminino, genotípica e fenotipicamente, o podem.

Trata-se de uma transição fenotípica de gênero, onde a pessoa busca adotar a aparência que melhor se adequa ao que sente em seu íntimo, pois nem sempre a identidade de gênero corresponde ao mesmo gênero biológico (cisgênero), mas sim ao oposto (transgênero).

Essa transição pode ser permanente e não permanente. A transição permanente implica em intervenções corporais visando alterar a aparência de maneira permanente, como por meio de terapia hormonal e cirurgias. Já a transição não permanente ocorre por meio de adoção de comportamentos e uso de objetos relacionados ao gênero oposto e pode ser em tempo integral, quando a pessoa adota um perfil feminino em seu dia-a-dia, ou ainda eventual, situação na qual a pessoa escolhe determinados momentos para realizar tal transição. 

Crossdressing, segundo o Cambridge Dictionary, é o ato de vestir roupas normalmente usadas pelo sexo oposto. Contudo o crossdressing transcende a definição do dicionário, englobando ainda a adoção de comportamentos, acessórios e, algumas vezes, o comportamento sexual típico do gênero oposto. Trata-se, portanto, de uma forma de transição de gênero não permanente, pois não implica em nenhuma alteração corporal cirúrgica ou hormonal, que pode ser por tempo integral ou temporária.

Crossdresser é alguém que, por meio do crossdressing, muda de gênero de maneira não permanente e eventual, com o uso de elementos e adoção de comportamentos típicos do gênero oposto. Desse modo temos a mudança do tipo MtF (Male to Female), na qual um homem adota a aparência do gênero feminino, e a do tipo FtM (Female to Male), onde uma mulher adota a aparência do gênero masculino.

Há uma visão estereotipada, especialmente sobre crossdressers MtF em função do comportamento sexual de algumas, na qual são vistas como pessoas sempre em busca de envolvimentos com homens e sexualmente submissas. Entretanto, ser crossdresser nem sempre significa dizer que a pessoa é homossexual, pois a transição não necessariamente envolve atração sexual por pessoas do mesmo gênero biológico.

Do BCS - Brazilian Crossdressers Society
Share:

Crossdresser: Saindo "vestida de mulher" Pela Primeira Vez

Eu nunca esquecerei a minha primeira vez saindo de "montada", mesmo que seja quase oito anos atrás agora. Eu ja me vestia em casa há muitos anos sempre que podia, mas eu nunca tinha saído 'en-femme' antes.

Algumas semanas antes, eu havia me juntado a um grupo local de crossdressing e finalmente tive coragem de participar de uma reunião da Tri-Ess. Na minha infinita sabedoria, achei que seria uma boa ideia sair pela primeira vez "vestido de mulher".

Fiz uma montagem simples para a ocasião. Vesti usava uma blusa azul sobre um jeans levemente feminino com um sutiã para os seios e apenas uma maquiagem leve. Com ansiedade, saio do meu apartamento, ansioso para descer rapidamente os dois lances de escada até meu carro sem ser visto.

Então, ao entrar no estacionamento, sou confrontado por 2 Policiais! (Pensei! Eles estão em todos os lugares - e eles estão atrás de crossdressers!). E eu estou vestida Eles notam meus seios e minha blusa feminina. Oh Deus!

Agora eu fui flagrada tudo estava acabado! Eu sabia que não deveria ousar me aventurar em "montada". Eu quase morri de constrangimento ali mesmo. Eu sabia que ia me meter em confusão, ou pelo menos uma repreensão severa.

Como depois constatei, o policial não estava fora do meu apartamento esperando para flagrar "homem vestido de mulher".Ele não me deu muita atenção. Entrei no carro sem problemas e fui para minha primeira reunião da Tri-Ess.

Sobre o medo exagerado do que provavelmente nunca acontecerá. Isso é o que eu experimentei na primeira vez em que saí de "vestida de mulher", e tenho um palpite de que não estou sozinho. Nossos piores medos raramente acontecem, mas passamos tanto tempo neles. É só quando estamos no momento em que o medo pode ser substituído pela alegria de expressar o próprio eu feminino.

Saindo "vestida de mulher" pela primeira vez - (outra experiência)

Algumas semanas atrás eu fui abençoada em levar minha boa amiga Vicki em sua primeira expedição crossdressing no mundo cisgênero. Ela havia visitado em o a Cidade Esmeralda (um clube transgênero local em Seattle) antes, mas deixar a segurança de estar em grupo era novo para ela.

Nós começamos a tarde com o almoço no restaurante chinês que nós tínhamos tudo para nós mesmos, e apesar de alguns sorrisos interessantes de nossos anfitriões era uma ótima maneira de facilitar o crossdressing em público.

Vicki realmente mostrou o domínio de seus nervos quando ela sugeriu uma rápida visita ao shopping. E convenhamos jantar em um restaurante deserto é uma coisa, andar por um shopping lotado é outra completamente diferente. Foi maravilhoso ver a sensação de alegria e realização em seu rosto quando ela deu um passo orgulhoso para o mundo como sua persona feminina.
Como foi sua primeira saida montada? Foi estressante, emocionante, alegre, libertador ou algo completamente diferente? Eu adoraria ouvir, comentar e me informar.



Share:

27 erros de linguagem corporal que podem arruinar sua imagem feminina.

Você sabia que a linguagem corporal é responsável por mais de 50% da impressão que você causa nas pessoas?

Essa é uma grande parte da sua imagem feminina!

A linguagem corporal consiste em quatro coisas:
  •     Postura
  •     Gestos
  •     Contato visual
  •     Expressões faciais

Infelizmente, é fácil desenvolver maus hábitos de linguagem corporal que podem arruinar sua imagem feminina ... ou, no mínimo, fazer você parecer menos equilibrada e polida do que gostaria de ser.

Aqui estão 27 ações que devem ser evitadas ao se apresentar como mulher:
  •     Olhar curioso
  •     Roer as unhas
  •     Verificando compulsivamente seu telefone
  •     Vasculhando sua bolsa
  •     Cruzando seus braços
  •     Inquietação
  •     Agitando sua perna ou tocando seus dedos
  •     Não sorrindo
  •     Escaneando a sala enquanto fala com alguém
  •     Falando demais com suas mãos
  •     Assentimento exagerado
  •     Examinando seus dentes ou rosto em público
  •     Aplicando maquiagem em público (além de um rápido toque de batom)
  •     Descansando o queixo nas mãos e cotovelos
  •     Sentando-se com as pernas afastadas
  •     Clanging your silverware
  •     Evitar o contato visual
  •     Contato visual que é muito intenso
  •     Um fraco aperto de mão
  •     Cerrando os punhos
  •     De pé perto demais das pessoas
  •     Mastigando em voz alta
  •     Falando enquanto você come
  •     Comendo ou bebendo muito rápido
  •     Curvando-se em direção à sua comida, em vez de levar a comida até a boca
  •     Inclinando-se para frente demais
  •     Recostando-se demais

Você está cometendo algum desses erros? Se assim for, não se sinta mal. (Eu tive que trabalhar em alguns deles eu mesmo!) Em vez disso, resolva melhorá-los.

Para se divertir, faça um "estudo da linguagem corporal" na próxima vez que estiver em público. Observe as ações sutis que melhoram ou diminuem as imagens das pessoas.

Você consegue pensar em outros hábitos que deveriam ser adicionados a essa lista?

Como sempre, adoraria ouvir seus pensamentos! Por favor, compartilhe nos comentários abaixo.

Do Femme Secrets by Lucille Sorella 
Share:

Reflexão e Desabafos: Travestis e Transgêneros são marginalizadas

https://4.bp.blogspot.com/-ErGl33NvQdI/W5W9POzmKVI/AAAAAAAAHY4/nltKxwgyTM8nR4xSf5avWcBnPGx3cDuxgCLcBGAs/s1600/apos-ser-dopada-estuprada-e-agredida-travesti-busca-ajuda-em-igreja-evangelica-5b854f72abe05.jpeg
"Muitas Travestis e Transgêneros são marginalizadas por se envolver a profissões ligadas ao sexo . Embora algumas estejam nessa vida por opção do chamado " Dinheiro fácil " (embora pelo que elas precisam aguentar eu não diria ser tão fácil assim) Muitas só estão vivendo essa vida porque não conseguem ingressar no mercado de trabalho por puro preconceito.

Muitas vendem seus corpos porque precisam comer, beber, pagar aluguel e contas , dar de comer aos seus filhos etc. Tudo porque muitos empregadores nos negam trabalho.

Porém São esses mesmos empregadores que muitas das vezes de maneira hipócrita nos procuram pelas madrugadas deixando suas esposas em casa em busca de nossos serviços após baterem com a porta de um emprego formal em nossa cara. Nada contra minhas amigas que vivem de seu corpo por opção.

Mas muitas de nós como eu queremos estar em uma Empresa mostrando nossa competência e profissionalismo... e não aturando... bêbados... drogados... bandidos... pelas madrugadas correndo risco de vida.

Se temos essa visão por parte da sociedade é porque a própria sociedade fecha as portas para nós. E como precisamos comer...beber...vestir...pagar as contas... bem advinha o que nos resta.

 Eu particularmente não sirvo pra viver na vida . Sou romântica demais pras ruas podres da madrugada. Mas ainda não passei por uma situação extrema pra saber até que ponto iria . E peço a Deus nunca passar pra descobrir. Que Deus me ajude a nunca me ver sem opção".

Share:

Dicas - Depilação caseira....

Durante o processo de "construção" de uma Crossdresser existem alguns pormenores que assumem uma importância vital para a obtenção de um bom visual. De entre as muitas diferenças entre o corpo masculino e feminino, os pelos são o que mais preocupam quem pretende transformar-se numa ‘verdadeira’ mulher. No nosso caso, ao contrário da maioria das mulheres, os pelos são um terrível incomodo, já que o seu tamanho e abundância são em geral superiores, afetando a harmonia de uma bela maquiagem. Por isso é importante conhecer os diversos métodos existentes para a eliminação desses indesejados visitantes, de forma que se possa produzir uma boa maquiagem e apresentação, sem no entanto danificar a pele.
As técnicas mais comuns e conhecidas de depilação estão ao serviço de quem realmente deseja livrar-se dos incômodos pelos, oferecendo uma ampla variedade de opções e de resultados. Desde a antiga lâmina de barbear até aos mais recentes métodos, existem vantagens e desvantagens que devem ser bem conhecidas para que o resultado final seja satisfatório e não frustrante.

Lâmina
 
 
Se for escolhida a lâmina de barbear como alternativa rápida, é muito importante ter leveza nas mãos e delicadeza no momento de depilar-se, pois é fácil obter cortes, ferimentos e uma grande irritação da pele. Se no dia seguinte desejar continuar a brincadeira, este método não deve ser utilizado, pois a pele ficará cada vez mais irritada e os pêlos mais fortes.
É muito importante não passar a lâmina em áreas irritadas, porque isso poderá provocar inflamações da pele. A lâmina deve ser empregue em sentido contrário ao do crescimento dos pêlos, evitando o movimento de vai-e-vem, pois irrita a pele. Com este método os pêlos são cortados somente pela metade, o que acaba dando força à parte que continua na pele. Desta forma, voltam a crescer rapidamente, mais grossos e mais fortes num curto espaço de tempo.

A área depilada deve ser depois desinfectada com álcool (ou outro desinfectante) e deve-se aplicar um creme próprio para estas situações.

Cera
 
 
Se a alternativa escolhida for a cera, existem várias opções, mas as mesmas estão limitadas às características da barba assim como às áreas específicas do corpo, isto é, a barba cerrada não poderá ser tratada com cera, mesmo quente, pois o volume de pelo não permitiria ser arrancado, tornando o processo doloroso e ineficiente. Para a depilação com cera fria ou quente é preciso que os pelos estejam longos para se obter um melhor resultado. É importante destacar, que a cera quente é mais vantajosa que a fria, já que ajuda na abertura dos poros e os pelos são retirados mais facilmente, sendo também mais econômica. No entanto este tipo de cera ajuda no aparecimento de derrames e varizes. Para evitar que a pele fique demasiado seca, dever-se-á usar diariamente um bom hidratante.
Seja qual for a sua opção, deve-se limpar previamente a região a ser depilada com água e sabão. Depois de feita a depilação, volta-se a limpar a área com um desinfectante, complementando com um creme pósdepilatório ou creme protetor.

- Cera Fria
 
 
A depilação com cera fria é uma das mais fáceis e comuns, resultando numa alternativa caseira. Existem receitas sofisticadas e até domésticas, cujo resultado dependerá especificamente das características da área a ser depilada, assim como do volume e consistência do pêlo. Mas este processo possui a vantagem de arrancar o pelo da raiz, deixando a pele lisa, o que garante um período de 20 a 30 dias sem a sua presença. Por outro lado, para poder ser feita nova depilação, é necessário deixar crescer os pelos, pelo menos, por algum tempo até adquirir tamanho suficiente para a remoção.
Existem vários tipos de cera: ceras específicas para pelos mais finos como aqueles que encontramos nos braços e corpo; e para pelos mais grossos como os da virilha, axilas, pernas e certos tipos de barbas. Mas, em casos de problemas de má circulação, varizes ou extrema sensibilidade capilar, não se deve utilizar qualquer cera.

Para a depilação com cera fria, basta espalhar a cera na superfície de um plástico ou de papel celofane apropriado para isso. Existem também folhas já prontas com cera, para aplicação imediata.

Uma vez escolhida a área de depilação, deve-se desinfectar o local com um algodão embebido em álcool para evitar riscos de infecção. É indispensável secar a área antes da depilação. Caso contrário, a cera não terá aderência e os pelos não serão removidos. Por isso, deve-se evitar passar óleos ou cremes hidratantes horas antes da depilação. A seguir, coloca-se o papel ou pano com cera e puxa-se de uma só vez no sentido contrário ao do crescimento dos pêlos. Poderá também optar-se por colocar a cera na área de depilação, espalhando com uma espátula ou com os dedos no sentido do crescimento dos pelos, para depois aplicar o celofane preparado. Uma vez concluída a operação, deve-se desinfectar bem a área depilada.

Este processo é doloroso e deve ser feito por outra pessoa para ter um bom resultado. Algumas barbas ralas e ainda em formação podem ser depiladas sem problema, mas as mais cheias não terão condições de remoção, pela resistência dos pelos.

- Cera Quente
 
 
De igual forma que a cera fria, a depilação com cera quente retira os pelos pela raiz, o que permite uma durabilidade de pelo menos 20 dias. Mas por abrir os poros com o calor, quanto mais natural for a composição da cera, melhor será para a saúde. Por outro lado, para poder ser feita a depilação, é necessário deixar os pelos crescer, pelo menos, por algum tempo até adquirirem o tamanho suficiente para a remoção. As ceras feitas em casa podem ser aplicadas com a mão, papel celofane ou folhas plásticas prontas para esse fim. Podem ser derretidas em banho-maria ou com aquecedores especiais para cera. Este método também tem as suas especificações para cada parte do corpo, de acordo com a sensibilidade de cada área. Vale a pena acrescentar que a barba corresponde a uma área extremamente sensível, devendo ser depilada somente com cera quente. Este tipo de depilação deve ser somente realizada por profissionais se não quiser passar por maus bocados.
Uma vez escolhida a área de depilação, deve-se desinfectar o local com um algodão com álcool para evitar riscos de infecção. É indispensável secar a área antes da depilação. Caso contrário, a cera não terá a aderência necessária e os pêlos não serão bem removidos. Por isso, deve-se evitar utilizar óleos ou cremes hidratantes horas antes da depilação. A seguir, aquece-se em banho-maria a cera até que ela fique com a temperatura aproximada do corpo. Depois de verificar a temperatura da cera numa área pequena da pele, aplica-se a cera sobre a região que será depilada com uma espátula, sempre em sentido do crescimento dos pelos. Deixa-se arrefecer por alguns segundos, até que endureça um pouco para poder puxar de uma só vez sempre no sentido contrário ao do crescimento dos pêlos. Uma vez concluída a operação, deve-se desinfectar bem a área depilada. O processo é doloroso e deve ser feito por outra pessoa para ter um bom resultado. No fim, deve-se sempre desinfectar a área depilada e pôr um creme hidratante.

Cremes, Loções e Luvas Depilatórias
 
 
De entre a grande variedade de produtos disponíveis no mercado, alguns podem retirar a umidade natural da pele, deixando-a áspera e seca. Por isso é muito importante fazer um teste alérgico antes de se escolher qualquer produto ou marca. Desta forma, faz-se uma pequena aplicação do produto num lugar do corpo sem qualquer problema de comprometimento. Observa-se a reação da pele após 15 minutos, e se não houver sinais de irritação ou alergia, pode-se ficar ter a certeza de que não haverão problemas com a marca.
Estes produtos são aplicados com espátula sobre a área escolhida. Como alternativa poderá utilizar-se um pau de gelado ou algo similar. Deve-se ter em atenção as instruções de utilização e recomendações do fabricante, respeitando o tempo em que o produto deve ficar sobre a pele, pois estes produtos contêm substâncias muito alcalinas que podem causar irritações e reações alérgicas. Uma vez removido o creme com os pelos, deve-se lavar abundantemente a região com água corrente e desinfectar. Posteriormente, se os pelos começarem a encravar, dever-se-á optar por outro processo.

Este tipo de depilação não interrompe o crescimento dos pelos nem demora significativamente o seu crescimento, antes pelo contrário, faz com que apareçam mais fortes e duros. Dependendo da grossura dos pelos, o creme terá mais ou menos dificuldade em os remover, devendo permanecer por mais tempo em contacto com a pele, no caso de pelos mais grossos, o que provoca uma maior irritação desta. Este processo é mais eficiente em regiões de pelos fracos e finos.

Depilação com Máquina Elétrica
 
 
Este método utiliza aparelhos elétricos que arrancam os pelos pela raiz. Os aparelhos mais modernos possuem um seletor que permite ajustar a velocidade com que os discos rotativos puxam os pelos. Outros aparelhos aquecem a cera no seu interior, e permitem a aplicação diretamente na pele em faixas. Neste caso devem ser seguidas as indicações aplicadas à cera quente. Este tipo de método é prático para pernas e braços, mas não se recomenda para a barba ou regiões delicadas e sensíveis.
Pinça
 
 
A utilização da pinça é adequada para a remoção de alguns pelos que ficam após depilação com cera, e ainda para a remoção de pelos para o contorno das sobrancelhas.

Método
Duração
Como Funciona
Regiões Indicadas
Desvantagens
Lâmina de Barbear
Algumas horas na barba e até três dias nas outras regiões
É prático. Corta os pelos junto à pele
Rosto, pernas, braços, axilas e virilhas
Irrita a pele. Faz encravar os novos pelos e faz com que estes apareçam mais fortes e duros
Máquina de Barbear
Algumas horas na barba e até três dias nas outras regiões
É prático. Corta os pelos junto à pele mas não é eficaz para pelos grossos
Rosto, pernas, braços, axilas e virilha
Irrita a pele. Faz encravar os novos fios de pelo e faz que estes apareçam mais fortes e duros
Cera fria
Quase vinte a trinta dias
Arranca os pelos pela raiz com rapidez
Pernas, axilas, virilha, peito, braços e barriga. Não funciona na barba
Não é eficiente para barba. É um método bastante doloroso
Cera quente
Quase vinte a trinta dias
Arranca os pelos pela raiz com rapidez
Pernas, axilas, virilha, peito, braços e barriga. Não funciona na barba cerrada
Não é eficiente para barba cerrada. É um método bastante doloroso e apenas deve ser feito por profissionais
Creme depilatório
Algumas horas na barba e até três dias em outras regiões
Provoca uma reação química, dissolvendo os pelos a partir da epiderme. É indolor
Pernas e braços
Pode causar alergia e irritação em peles sensíveis. É idêntico à lâmina de barbear
Depilação com Máquina Eléctrica
Quase vinte dias
Arranca os pelos pela raiz com rapidez
Pernas
É muito doloroso
Pinça
Quase vinte dias
Arranca os pelos pela raiz muito lentamente
Áreas pequenas com as sobrancelhas
É um método demorado e só aplicável em áreas pequenas

Autora Vanessa Blue Fórum Espartilho.
Share:

Crossdresser: O que considero importante numa montagem completa?


Toda crossdresser, inclusive as mais experientes, tem dúvidas e dificuldades relacionadas à montagem, desde a escolha de uma peruca, passando pelas bijouterias (quem nunca sofreu querendo usar um par de brincos sem ter furos nas orelhas?), bem como quais cosméticos usar e em que ordem usá-los. Como usar uma tabela de medidas para a escolha de roupas e lingeries muitas vezes é um problema, pois nem todas sabem quais devem ser levadas em consideração e como medir corretamente. A busca por sapatos ideais também é uma luta, pois nem sempre se tem uma variedade de produtos quando se calça acima de 39.
 
Bem, quem me conhece pessoalmente sabe que uma de minhas frases prediletas é "o diabo mora nos detalhes". Portanto, uma montagem de dar água na boca do diabo requer atenção aos detalhes, o que normalmente não é levado em consideração pela maioria das crossdressers, que se limitam a vestirem uma lingerie, calçarem um salto alto, colocarem uma peruca e passarem um batom. Uma montagem perfeita significa antes de mais nada sair da zona de conforto em busca de uma feminilidade visual capaz de transformar a maneira de se encarar o crossdressing da cabeça aos pés, LITERALMENTE.
Tendo este objetivo em vista, considero detalhes importantes numa montagem:

1. Barba bem feita e maquiagem bem executada;
2. Peruca bem fixada;
3. Seios postiços;
4. A lingerie deve incluir um corset;
5. Tucking;
6. Unhas bem feitas e em cores adequadas, inclusive dos pés;
7. Salto alto do tamanho correto;
8. Bijouterias para compor o visual (brincos, colares, anéis, pulseiras);
9. A roupa certa para cada ocasião.

Seguir esses 9 passos é algo fácil? NÃO. Quem deseja aprimorar-se deve encarar as dificuldades e superá-las para atingir a satisfação que apenas conhece quem experimentou uma montagem muito bem elaborada e executada. Em breve a BCS irá divulgar uma novidade para ajudar a todas que desejam ser ainda mais femininas, portanto, mantenham-se antenadas nas novidades da página!



Share:

Dicas de Montagem: Modeladores corporais, um auxílio nas curvas

Modificar o corpo sem grande investimento de tempo ou dinheiro é uma tarefa árdua, sem contar que nem todo mundo está disposto ou pode modificar o próprio corpo para atender as necessidades do seu lado feminino. No entanto, existem diversos acessórios conhecidos como Modeladores que podem te ajudar a criar curvas femininas instantaneamente, inclusive vejo muita drag que consegue resultados impressionantes apenas com o uso de deles!! Alias, não só drag, até mulher cis usa sutiã de bojo ou modelador de cintura, por exemplo, para criar curvas mais sólidas.
Se você pensa em ganhar curvas, diminuir a silhueta ou criar um volume extra, saiba que existem diversas opções no mercado para te ajudar! No post de hoje eu vou apresentar alguns acessórios para atuar no busto, na cintura e no quadril, confira:
Busto
A região dos seios é bastante sensual e as curvas podem fazer muita diferença! A opção mais simples e difundida para os seios é o sutiã estruturado com bojo, eu até já fiz um post específico sobre Como escolher o seu sutiã. Você também vai encontrar aqui no blog o post Como simular seios femininos (avançado) com exemplos em vídeo, então aqui vou fazer um resumo dos métodos:
Sutiã com bojo: dispensa comentários, é o mais simples! Se trata de um sutiã comum que tem um par de conchas estofadas imitando o contorno dos seios, basta vesti-lo por de baixo da roupa e curtir as curvas. É recomendado para qualquer tipo de corpo e pode-se encontrar diversas opções de tamanhos, cores e modelos no mercado nacional.
Desenvolvedor de decotes: encontrei esse acessório por acaso no site Glamour Boutique e, pelo que entendi, ele foi desenvolvido por uma especialista em corsets para ajudar a criar um busto pressionando o volume que você já tem nos seios. Se você complementar com um sutiã com bojo o resultado será bem convincente!
Sutiã adesivo de silicone: a peça ganhou popularidade por ficar invisível na roupa e dar uma forcinha na levantada dos seios! Para crossdressers/transgêneros é indicado para quem tem o corpo magrinho ou possui os seios desenvolvidos, a peça vai dar uma forma para quem é reto ou moldar os seios existentes. Se você não encontrar facilmente em loja física saiba que tem no MercadoLivre.
Seios de silicone: esse acessório é um pouco mais sofisticado e mais difícil de ser encontrado. É uma peça de silicone que imita a forma dos seios, pode ser colado no corpo ou preso a um sutiã e existem diversas opções de cores e tamanhos para se ajustar ao seu corpo, então é recomendado para qualquer corpo. Se encontra em sites como GlamourBoutique, Aliexpress ou Ebay.
Busto de silicone/látex: só os seios não atinge o resultado que você deseja? Bom, essa última opção imita um busto feminino dos seios até o pescoço, assim você poderá abusar dos decotes! Também é recomendado para qualquer corpo e se encontra nos mesmos locais dos Seios de silicone.
Cintura
Quem nasce com um corpo XY normalmente precisa lutar muito para conseguir uma cinturinha fina como a feminina. Os modeladores são grandes aliados e uso prolongado pode afinar o seu corpo, principalmente se for com o auxilio de um corset estruturado.
Cinta modeladora: os mais comuns, existem modelos de R$20 até R$200 e os formatos variam, existe tipo body, tipo blusinha, com shortinho, enfim, sobram opções. Quanto a efetividade deles é outra história, alguns conseguem diminuir vários centímetros enquanto outros só enganam. Quando for escolher o seu seria interessante testar e usar uma fita métrica para medir a variação da circunferência da sua cintura.
Corset estruturado: diferente dos modeladores comuns o corset é costurado com tecidos resistentes e barbatanas de aço que suportam a tensão das cordas e resulta em uma cintura fininha. Usar uma peça dessas é um desafio para a respiração mas pode-se obter resultados definitivos no corpo com a prática de tight-lacing a longo prazo. Tenho um post falando mais sobre o corset e comprei os meus na Kiss Me e na Black Cherry. Para se obter melhores resultados recomenda-se usar peças sob medida para o seu corpo.
Quadril
Aumentar o quadril com exercícios requer muitas repetições de afundo, agachamento e glúteos três apoios (sou prova disso), e o resultado faz aproximar o seu corpo aos tipos ampulheta ou triangular, os mais femininos. Se exercício não é a sua praia confira a seguir três opções de acessórios para aumentar o bumbum:
Modelador de quadril: esses modelos possuem alta compressão na região da cintura e abdômen para disfarçar as gordurinhas e modelar as coxas e o quadril com desenho que valoriza o bumbum. Encontra-se facilmente no mercado e tem opção do shorts modelador já com a meia calça.
Cacinha com enchimento: as opções são variadas, existe calcinha que ajuda a empinar, calcinha com espaço para colocar enchimentos em locais específicos e até calcinha que dá um formato novo para a sua bunda.
Padding: muito utilizado pelas drags o padding é um tipo de enchimento que ajuda a aumentar o volume do quadril e das nádegas. Pode-se comprar um pronto, mas tem alguns vídeos ensinando a fazer o seu (como esse ou esse).
Corpo
Confesso que fico um pouco assustada com a sofisticação de uma peça dessas. Se trata de um macacão de látex ou silicone que dará uma modelagem nova para o corpo todo, tem até opção com máscara. Nunca vi uma peça dessas ao vivo e acredito que o seu uso seja mais limitado à produção de vídeos/filmes ou disfarces.
Antes e Depois
Segue alguns exemplos de antes e depois de corpos com os acessórios apresentados:

Sugiro que você seja realista em relação às curvas que você deseja levando em consideração as suas restrições de orçamento e a constituição do seu corpo. Estude as suas próprias curvas na frente do espelho e pense em como construir uma forma cujas proporções na área do busto, cintura e quadril sejam coerentes, esse post sobre as formas do corpo pode te ajudar. Se você for mais cheinha criar uma cintura com um corset será mais vantajoso do que desenhar os seios, já se você tiver um corpo magro talvez seja mais interessante investir em padding no quadril do que na cintura. 

Share:

Crossdressers têm festa própria em São Paulo

Quando recebi o convite da artista Luhly Cow para ser jurado de um concurso que elegeria a “melhor crossdresser" de uma festa em São Paulo, me assustei. Nunca tive proximidade com o grupo e a imagem que tinha até então beirava ao preconceito: fotos de “bundas peludas com calcinha publicadas nas redes sociais”.

Relutei ao convite num primeiro momento, até por esperar uma resposta negativa dos leitores, mas logo entendi que muitas vezes é preciso encarar o outro lado e se permitir a entender universos que ficam evidentes somente entre quatro paredes, em festas fechadas e em fotos de redes sociais.

E lá estava eu, em frente à festa Rainha Cross, no Bar Queen, no centro de São Paulo, com os preconceitos e conceitos deixados em casa. Logo no início a imagem preconceituosa dá vida a rostos maquiados, tensos e com muito medo. Deparo-me na portaria com três jovens CDs. De peruca, maquiagem e salto alto. Corriam e pareciam assustadas, intimidadas com a rua, com os olhares e com o preconceito que poderia bater a porta. 

Outra apareceu dentro de um taxi e, quando virei o rosto, já estava dentro da festa.

O espaço – já conhecido pela temática LGBT - conta com música eletrônica, clipes de divas internacionais nos televisores e pequenos grupos de CDs conversando nas mesas. A vestimenta vai desde vestidinhos “periguete” aos vestidos de gala. A maquiagem vai desde as primeiras montagens às profissionais de concurso. E não há regra ou padrão de público.  Teve até uma que estava de peruca, bermuda e... Tênis! Todas olhavam e riam.

No piso superior, figuras ilustres aguardavam o início dos shows e do concurso: a drag queen Kaká di Polly, a apresentadora Marisa Carnicelli e o apresentador Cazé Peçanha, que há pouco falou sobre crossdresser no programa A Liga, da Band, são algumas delas. 


lull
MAS O QUE É CROSSDRESSER?

O termo foi criado nos EUA e existe desde os anos 60. A princípio, era referido aos "homens, geralmente casados com mulheres e heterossexuais, que se realizavam em se vestir com trajes do universo feminino em algum espaço de tempo". E, depois, se desmontar e levar a vida como qualquer outro homem. No Brasil, não é uma prática apenas de héteros, tendo muitos gays e bissexuais praticando o crossdressing. E nem com um único discurso ou motivação.

“O que eu mais gosto é poder usar um vestido, sentir o tecido na minha pele, colocar peruca e desabrochar esse outro lado feminino em alguns momentos. Depois, tirar tudo e levar uma vida de homem, como qualquer outro”, declarou a CD Carla, que é um empresário em outros espaços. “Para mim, é um modo de vida e a possibilidade de viver o lado masculino e feminino”, concordou a amiga, que é bancário.

Enquanto a maioria dava as costas quando sabia que eu era jornalista, outras surpreendiam ao mostrar que, em alguns casos, a vivência crossdresser é um passo para se assumirem posteriormente travesti ou mulher transexual. A cartunista Laerte Coutinho, por exemplo, iniciou dizendo-se crossdresser. Hoje, com o guarda-roupa todo feminino e o contato com outros grupos de militância TT e definições, define-se como travesti ou simplesmente transgênero.

Bianca vê na cartunista uma inspiração: “Sou CD porque não tenho condições de me tornar uma travesti. É o meu sonho, mas minha família não me aceitaria”. “Não fico com uma aparência bonita para me assumir trans. Então me contento com esses momentos. Mas, para mim, desmontar, tirar o vestido, o esmalte e a maquiagem é o momento mais triste”. Chamam de síndrome da acetona.

Além disso, concorrendo no concurso havia uma pessoa que se reconheceu como travesti por uma década, mas que acabou desistindo pela transfobia. Hoje, ela se diz verdadeiramente feliz em espaços em que pode se montar e ser uma CD. "É onde eu respiro", limitou-se a responder.  


NOITE PARA SE SENTIR MULHER – SEM CULPA

A festa é produzida e comandada por Jaime Braz Tarallo, que encarna a personagem Lizz Camargo – cover de ninguém menos que Hebe Camargo. “Criei a festa há quatro anos, quando percebi que não havia um espaço social para elas em São Paulo, que tivesse estrutura adequada, com camarim para elas se montarem”, contou.

Segundo Lizz, o primeiro evento teve a presença de apenas nove CD, fruto do medo de serem flagradas e sofrerem preconceito. “Há resistência de algumas ainda, por culpa ou medo da visibilidade. É uma festa delicada, pois há cross que se programam para vir há três anos, mas ainda não conseguiram. Seja porque a esposa ainda não sabe, por medo e até por não entenderem a sua condição”.


10385364_1391346067851665_7356117878199964606_n


Ela, que também se considera cross e até é chamada de mãe por algumas, defende que luta é para que elas possam ter uma noite em que se sintam mulheres – e sem culpa. “Antes da Luhly surgir na minha vida, há um ano e meio, a Lizz não existia. Ela fez o make e, depois de dois dias, a internet estava bombando com todo mundo me dizendo: ‘Olha a Hebe’. Foi algo espontâneo e que eu adorei”.

No palco, Lana Miranda – artista transformista que é cover oficial de Carmem Miranda – arrasa nas performances.

CDZINHA É PEJORATIVO

- Posso falar CD para dizer crossdresser ou é um termo pejorativo?
- O termo CD não é ofensivo, mas CDzinha, sim.
- Sério?
- As CDzinhas, apesar de também se considerarem crossdresser, tem o fetiche alto e normalmente utilizando do crossdressing para promover encontros sexuais.
- Mas qual é o problema de partir para o lado fetichista?
- Nenhum, mas é que é bem diferente do princípio do crossdressing, que fala mais sobre arte.
- Para você ser crossdresser é fazer arte?
- É um estilo de vida. Pessoas que levam dois momentos e que transitam nos universos masculinos e femininos. Se você reparar aqui, as pessoas não estão pensando em fazer pegação, estão mais para vivenciar o lado feminino. Entende a diferença?
- Total!

CAZÉ PEÇANHA É HOMENAGEADO

Durante a festa, o apresentador Cazé Peçanha, que estava acompanhado da mulher Fernanda Thompson, foi homenageado, devido à reportagem que fez para o programa A Liga, da Band. Ao anunciar, Liz declarou que ele tirou as CDs das sombras.
10574288_1384485741871031_890110567341794720_n

Muito simpático e aparentemente bem a vontade, Cazé tirou foto com vários presentes e declarou que a reportagem o ajudou a “harmonizar o lado masculino com o feminino”. Foi a primeira vez que entrei neste universo feminino, com bastante respeito. E tentei trazer a mulher que existe dentro de mim para fora.

O apresentador declarou que o ser humano divide as pessoas em tantos rótulos que, muitas vezes, algo que poderia ser unido está separado. Da experiência de se montar para a reportagem, ele declarou que pior parte foi a depilação. “Foi muito doloroso e quase desisti”.

Ao NLUCON, Liz comentou a declaração sobre as CDs quererem “sair das sombras”, uma vez que grande parte prefere, sim, o anonimato. “Referia-me ao respeito e entendimento que elas precisam ter delas próprias e pela sociedade. O anonimato que elas querem é de exercer o fetiche e numa noite de sonho. Mas muitas, quanto acabam as festas, não se conformam em ter de se desmontar”.

O CONCURSO

Ao todo foram 12 concorrentes, das cidades de São Paulo, Roraima, Santo André, Morro do Pinhalzinho, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul. Elas foram anunciadas por Luhly e desfilaram para a plateia com seus vestidos.

Diferente de outros concursos de beleza, não há padrões pré-definidos para participar, tampouco a cobrança de andar ou figurinos de miss. As candidatas têm de 18 a 43 anos, 1,67m a 1,84m, diversos padrões de beleza (magras, gordinhas, novatas, veteranas...) e apostas diversas de figurino.

Depois de vários desfiles – tímidos, desinibidos, desajeitados e até de modelos de passarela – os jurados deram os votos em público. Cazé Peçanha votou em Alyssa Brandão, o Neto Lucon votou em Playt Patricia, assim como Kaká di Polly. E os demais jurados deram o voto para Cynthia Andreia, tornando-a Rainha Cross.

Ela recebeu a faixa, tirou fotos e terá, entre as responsabilidades, bater cartão na festa e representar as crossdressers.

BATE-PAPO COM A RAINHA CROSS
Andréense ou Cynthia Andreia, 35 anos, projetista mecânico, solteiríssima, meiga e adora fazer amizade.


11082714_389355224579796_1990994560_n



- Me falaram aqui que crossdressers buscam o direito a um estilo de vida. Me explica?

A gente quer poder transitar nestes dois mundos sem problema nenhum, sem sofrer preconceito. O crossdressing pode ser encarado como um hobbie, um estilo de vida e para algumas pessoas também pode ser um fetiche. Mas no fundo queremos o que todos os transgêneros querem, sermos reconhecidas e podermos andar na rua livremente, se sentir a vontade com o gênero feminino, mesmo que temporariamente.

- Mas não se trata de uma luta pela identidade, como é o caso das travestis e mulheres transexuais, certo?

Não, pois a luta pela identidade é das travestis, transexuais, que são mulheres ou que vivem o gênero feminino 24h. Ele não faz parte da vontade da crossdresser, que vivencia os dois gêneros por determinado período. Apesar disso, não há rivalidade. Nós entramos como apoiadoras da luta e achamos legítima a luta. Até porque tem algumas cross que acabam se descobrindo travestis ou transexuais depois de um tempo.

- A Liz disse que o Cazé tirou as CDs do escuro. Mas o grupo não prefere justamente ficar às escondidas? Não é um grupo fechado?

Não queremos ficar escondidas de forma alguma, esse grupo tem que ser aberto, a maioria ainda fica se escondendo por medo exatamente dessa sociedade. E muitas também são casadas, namoram, a família não sabe, o emprego também não aceitaria este outro gênero. Mas no fundo sabemos que temos que nos mostrar para ampliar este grupo, para que a sociedade passe a nos ver com menos preconceito e mais aceitação. No meu trabalho, por exemplo, todos sabem que me monto, porém isso não interfere em nada. Até porque nunca fui montada para lá.

- E você gostaria de trabalhar montada?

Diria que sim, porque às vezes acordo tão menina que minha vontade é ir (risos).

- Existe diferença entre as CDs do Brasil e dos EUA?

Aqui noto que a maioria é gay ou bissexual, sendo que lá existe aquela questão de “serem homens heterossexuais que se vestem...”. Neste sentido, acho que estamos mais soltos. Eu sou sou heterossexual, ou seja, só me relaciono com mulher. 

- Como foi que você percebeu que era uma CD?

Costumo dizer que a gente não se descobre CD, nasce CD. Eu já curtia esse lado feminino desde criança mesmo. Sempre achei mais graça nas peças femininas que nas masculinas. E o interessante é que nunca fui afeminadinha, sempre curti mulheres... Mas o lado feminino me atrai demais, incluindo essa mudança temporária de gênero.

- Foi tranquilo o processo de se entender CD?

No início foi difícil, porque eu me achava totalmente diferente. Às vezes pensava: Será que eu sou travesti, será que eu sou trans? Mas depois de muito pesquisar, ler e conversar com outros iguais, me encontrei. Resolvei buscar amizade com outras CDs também para trocar experiências, ver novas perspectivas e abrir mais a minha mente também. Hoje, eu me considero dentro da categoria transgênero.

- Lembra a primeira vez que você se montou?

Com sete anos eu já colocava escondida as lingeries da minha mãe, tia e primas (risos). Mas quando realmente me montei por completo eu tinha uns 23 anos. E fui só evoluindo e tomando gosto cada vez mais por essa prática.

- O que acha da festa Rainha Cross?

Essa festa foi uma das maiores descobertas da minha vida. Me deu muita liberdade em fazer o que realmente é importante, que é ampliar minhas amizades com as cross, além de ajudar as iniciantes. O Jaime é um anjo de pessoa, um ser humano fantástico e tem me ajudado muito nessa minha caminhada. A festa realmente é um lugar para as cross se sentirem bem recepcionadas e serem tratada como Divas e Rainhas, por que ali é o momento delas.

- Como foi ganhar o Miss Rainha Cross?

Foi uma surpresa, porque tinha candidatas maravilhosas. Adorei! É uma responsabilidade grande representar essa classe.

- E miss pode beijar nas festas?

Só se não borrar o batom (risos).


Do NLucon - Por Neto Lucon
Share:

-

BANNER 728X90

Video Recomendado

-

AD BANNER

Visualizações

About & Social

Sobre este blog

Aqui eu não sou homem ou mulher. Sou um adepto do crossdresing. Sou uma Crossdresser - CD ou CDzinha. Desde os 9 anos, adoro lingeries e roupas sexyes. Levo uma vida normal masculina e tenho uma vida clandestina feminina.

Me proponho aqui a falar um pouco de tudo, em especial das Crossdressers, dos transexuais, dos Travestis e da enorme comunidade
LGBT existente em todo o mundo. Um estilo de vida complicado e confuso (para alguns)... Este espaço também se presta para expor a minha indignação quanto ao ódio e preconceito em geral.

Observo que esse é um blog onde parte do que aqui posto pode ser considerado como orientado sexualmente para adultos, ou seja, material destinado a pessoas maiores de 18 anos. Se você não atingiu ainda 18 anos, ou se este tipo de material ofende você, ou ainda se você está acessando a internet de algum país ou local onde este tipo de material é proibido por lei, NÃO siga 'navegando'.

Sou um Crossdresser {homem>mulher} casada {com mulher - que nada sabe} e não sou um 'pedaço de carne'.

Para aqueles que eventualmente perguntam sobre o porque do termo 'Crossdresser GG', eu informo que lógico que o termo trata das minhas medidas. Ja que de fato visto 'GG'. Entretanto alcunhei que 'GG' de Grande e Gorda, afinal minhas medidas numéricas femininas para Blusas, camisetas e vestidos são tamanho: 50 e Calças, bermudas, shorts e saias são tamanho: 50.

Entre em contato comigo!

Nome

E-mail *

Mensagem *

busque no blog

Arquivo do blog

TROCA DE LINKS

Apoio ao Crossdresser
Universo Crossdress
Márcia Tirésias
Club Cross
Fórum Crossdressing Place
Jornalismo Trans - Neto Lucon
Kannel Art
Noite Rainha Cross
Diário de uma Crossdresser

Gospel LGBT
Dom Monteiro - Contos do Dom
La nueva chica del bairro
Ravens Ladies
Travestismo Heterosexual

CROSSDRESSER
Nathasha b'Fly
Veronica Mendes
Camilinha Lafert
Kamila Cross BH
Sophia Mel Cdzinha

DANYELA CROSSDRESSER
Duda CD
Bruninha Loira sapeka
Cross Gatas
Klesia cd
Renata Loren
Coroa CD
Suzan Crossdresser
Érika Diniz
CDZINHA EXIBICIONISTA
Aninha CDzinha
Camila Praz
CD VALDETTY
CD Paty
Cdzinha Moranguinho
Jaqueline CD
Paty Cdzinha

Contos Eróticos da Casa da Maitê
Elite Transex

Mais

Mais vistos na ultima semana

Tags

Postagens mais visitadas há um ano

Postagem em destaque

Renata Montezine arrasando como sempre

Renata Albuquerque Montezine é atualmente uma das mulheres trans, de maior sucesso no país. Já foi modelo plus size, sendo a primeira...

Pages